FC Porto confirma Warrior como sucessora da Nike

Ligação de 14 anos à marca norte-americana terminou. FC Porto consegue acordo mais vantajoso financeiramente, mas as primeiras imagens dos novos equipamentos não agradam aos adeptos.

O FC Porto confirmou, nesta quinta-feira, o fim de uma ligação de 14 anos à Nike como patrocinadora da equipa profissional de futebol. A Warrior vai passar a produzir a linha de equipamentos dos dragões.

Patrocinadora do Liverpool e do Sevilha, a Warrior, também norte-americana, vai pagar ao FC Porto números superiores aos que a Nike oferecia, embora os detalhes do acordo ainda não sejam conhecidos.

No último contrato celebrado com a Nike, o FC Porto recebeu 14,8 milhões de euros por quatro temporadas. O Liverpool, patrocinado pela Warrior, ganha cerca de 30 milhões de euros... por época.

O FC Porto assinalou, nas redes sociais, que durante a ligação à Nike foi nove vezes campeão nacional e conquistou seis Taças de Portugal, nove Supertaças, uma Taça Intercontinental, duas Ligas Europa (uma ainda sob a denominação de Taça UEFA) e uma Liga dos Campeões.

Segue-se, agora, a ligação à Warrior, cujas primeiras imagens de equipamentos já começaram a cair na rede. Porém, a marca, conhecida pelos padrões extravagantes nas camisolas, parece desde já não estar a agradar a grande parte dos adeptos, a avaliar pelos comentários nas redes sociais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.