FC Porto cede 5% de Jackson ao empresário

SAD portista esclarece que negociou percentagem do passe com Luiz Pompeo, como contrapartida pela renovação do avançado colombiano.

O FC Porto acertou este verão um novo contrato com Jackson Martinez (até 2017) que garante a permanência do avançado por pelo menos mais uma temporada no Dragão e baixou a cláusula de rescisão de 40 para 35 milhões de euros a partir do final da época 2014/15.

A SAD portista esclarece agora que também alienou 5% do valor líquido de uma futura transferência ao empresário do jogador.

Comunicado do FC Porto à CMVM:

"A Futebol Clube do Porto - Futebol, SAD, nos termos do artigo 248º nº1 do Código dos Valores Mobiliários, e no âmbito do processo de renovação do contrato de trabalho que liga esta sociedade ao seu jogador Jackson Martínez Valencia anteriormente comunicada, vem informar o mercado que cedeu 5% do valor líquido resultante da transferência a título definitivo dos direitos de inscrição desportiva do referido atleta ao seu agente - Luiz Henrique Ferreira Pompeo -, como contrapartida dos serviços prestados nas negociações com o jogador"

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.