Casillas nos convocados da Espanha para particulares com Inglaterra e Bélgica

Vicent del Bosque voltou a convocar o guarda-redes do FC Porto, que vai discutir a titularidade com De Gea

O guarda-redes Iker Casillas, jogador do FC Porto, é um dos 24 convocados da seleção espanhola de futebol, hoje divulgada pelo treinador Vicente del Bosque, para os jogos particulares com a Inglaterra e a Bélgica.

Casillas, o jogador com maior número de jogos pela seleção espanhola, com 164 internacionalizações, é uma das três opções de Del Bosque para ocupar a baliza, em conjunto com David de Gea, do Manchester United, e Sergio Rico, do Sevilha.

O médio Coke (Atlético de Madrid) e o avançado Diego Costa (Chelsea) são as maiores novidades na lista de eleitos do selecionador espanhol, que volta também a integrar o médio Iniesta (FC Barcelona), após a ausência devido a lesão.

A Espanha defronta a Inglaterra a 12 de novembro, em Alicante, medindo forças com a Bélgica cinco dias mais tarde, a 17, em Bruxelas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.