Casillas afirma que vai ficar no Dragão até 2018

"Prometo estar melhor na próxima temporada, melhor do que nesta", garantiu o guarda-redes

O guarda-redes Iker Casillas afirmou hoje que permanecerá no FC Porto "até 2018" e que "Sporting e Benfica fizeram uma temporada muito boa" na I Liga de futebol, ao contrário dos 'dragões', que não estiveram "à altura".

O internacional espanhol disse, durante uma cerimónia comercial em Madrid, que "há uma grande vontade de conquistar a Taça de Portugal, que é um troféu importante, até para começar a pensar já na próxima temporada", admitindo que, nos seus planos, será cumprida no Porto.

"Vou ficar até 2018, pois estou a gostar e feliz, ainda por cima perto de casa", acrescentou Casillas, para quem a temporada que está a terminar "foi um ano com muitas mudanças e no Natal saíram vários jogadores e o treinador".

Segundo o guardião, "no início de janeiro, a equipa pagou a fatura de estar duas ou três semanas sem um treinador definitivo", recordando as jornadas em que foi dirigida, de forma interina, por Rui Barros.

"Sou muito autocrítico, posso fazer melhor e tenho que fazer melhor, pois não gostei, de uma forma geral, de ter terminado a temporada a 14 pontos do Benfica, nem me senti satisfeito com o meu rendimento pessoal", afirmou.

Iker Casillas, que chegou ao FC Porto no início da temporada que agora termina, admitiu que "foi uma mudança na vida e é sempre preciso algum tempo para adaptação".

"Prometo estar melhor na próxima temporada, melhor do que nesta", concluiu, a propósito do seu primeiro ano no Porto.

Casillas afirmou ainda estar esperançado em integrar a convocatória da seleção espanhola para o Euro2016 e que espera conquistar o terceiro título consecutivo na competição continental.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.