Brahimi e Herrera são pontos de interrogação

Argelino desperta cobiça e vai estar algum tempo fora, na CAN. Depay pode reforçar as alas. Mexicano é transferível

André Cruz Martins
© Fábio Poço / Global Imagens

António Sousa, jogador do FC Porto durante oito temporadas, defende que a grande prioridade para os azuis e brancos neste mercado de janeiro deveria ser "a aquisição de um número 10 com grande experiência, pois essa é sem dúvida a grande lacuna do plantel". O antigo campeão europeu pelos dragões reconhece que o atual lote de jogadores à disposição de Nuno Espírito Santo "tem grande qualidade, mas faz falta alguma maturidade".

André Silva parece ser a única opção segura para ponta-de-lança, mas o treinador de 59 anos entende que essa posição não precisa de ser reforçada, sublinhando que a equipa "tem criado muitas oportunidades e marcado um número muito apreciável de golos". E acha que "Rui Pedro e o próprio Depoitre são alternativas válidas ao ponta-de-lança titular".

Durante boa parte da temporada, Brahimi foi posto à margem por Nuno Espírito Santo, mas curiosamente, ou talvez não, foi desde que começou a jogar que os bons resultados começaram a surgir. António Sousa mostra-se muito agradado com o argelino e nem quer ouvir falar na sua saída neste mercado. "Tem enorme qualidade e o seu rendimento tem subido em flecha nas últimas semanas. Seria muito mau se ele fosse transferido nesta altura... Só mesmo se aparecer uma fantástica oportunidade de negócio", defende. Mas a ausência obrigatória do argelino durante cerca de um mês, pela ida à Taça Africana das Nações (CAN), pode levar os dragões a reforçar as alas, e Memphis Depay, extremo do Manchester United, tem sido um nome aventado.

Por outro lado, António Sousa não percebe o que Adrian López ainda faz no FC Porto. "Deveria ser dispensado, pois não tem feito absolutamente nada pelo clube. Aliás, o mesmo já havia sucedido quando da sua primeira passagem pelo clube", realça. E, sem apontar nomes, acrescenta que outros elementos do plantel poderão seguir o caminho ao avançado espanhol.

Entre Sérgio Oliveira, Evandro, Silvestre Varela e João Carlos Teixeira alguém poderá estar na porta da saída do Dragão, dada a escassa utilização, ainda que tal pareça pouco provável no caso do jovem médio que chegou do Liverpool, até pelas oportunidades concedidas por Nuno Espírito Santo em alguns dos últimos desafios. Por outro lado, o mexicano Herrera perdeu espaço e mercado não lhe falta, pelo que poderá sair caso surja uma boa proposta.

Em sentido inverso está Kelvin, que já regressou ontem aos treinos no clube, como tinha sido assumido por Pinto da Costa. O herói do título nacional de 2012-13 realizou uma boa temporada ao serviço do São Paulo e deverá ser o único dos emprestados a voltar neste mercado, estando descartado o regresso de Marega.

O maliano, cedido ao Vitória de Guimarães, é o atual melhor marcador do campeonato, com dez golos, curiosamente os mesmos de André Silva, mas também deve ser chamado à CAN.

O mercado de janeiro raramente tem trazido grandes resultados para os azuis e brancos, sendo um exemplo perfeito o que sucedeu na época passada, quando chegaram Marega, Suk e José Sá. Só o guarda-redes se mantém no plantel, como habitual suplente do espanhol Casillas.