Aboubakar regressa aos convocados por troca com Brahimi

Camaronês tinha ficado de fora das opções para o jogo em Paços de Ferreira, na jornada anterior

O avançado Aboubakar está de regresso aos convocados do FC Porto, numa lista de 18 futebolistas em que a grande ausência é a do extremo argelino Brahimi, que cumprirá castigo.

Para o jogo de domingo com o Nacional, no Estádio do Dragão (20:30), o técnico José Peseiro trocou apenas Brahimi por Aboubakar, depois de o camaronês ter ficado de fora na visita e derrota do FC Porto em Paços de Ferreira (1-0).

Hoje, na sessão de treino no Olival, o técnico portista voltou a contar com André Caio e Francisco Ramos, dois jogadores da equipa B que têm treinado com o grupo e com o último a manter-se, aliás, nos convocados.

Desta vez, o guarda-redes José Sá, contratado no mercado de inverno ao Marítimo, à semelhança de Marega, fez o caminho contrário e integrou os trabalhos da equipa B, líder da II Liga e comandada por Luís Castro.

Em relação aos lesionados, Evandro e André André fizeram, de acordo com informação dos 'dragões', trabalho condicionado, e Marcano e Bueno "estão mais atrasados na recuperação e continuam a efetuar tratamento às lesões".

O FC Porto, terceiro no campeonato e que vem de duas derrotas consecutivas na Liga (em casa com Tondela e fora com Paços de Ferreira, ambas por 1-0), recebe o Nacional (9.º), em jogo da 30.ª jornada arbitrado por Luís Ferreira, da associação de Braga.

Lista de 18 convocados:

- Guarda-redes: Helton e Casillas.

- Defesas: Maxi Pereira, Martins Indi, José Ángel, Layún e Chidozie.

- Médios: Rúben Neves, Danilo, Sérgio Oliveira, Herrera e Francisco Ramos.

- Avançados: Aboubakar, Varela, Marega, Corona, André Silva e Suk.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.