80 milhões à vista no Dragão

O FC Porto chegou a um entendimento para a venda dos passes de Brahimi e Imbula no final da presente temporada

O FC Porto tem um pré-acordo para a venda de Gianelli Imbula e Yacine Brahimi no final da presente temporada no valor de 80 milhões, apurou o DN.

O franco-argelino Brahimi há muito que é cobiçado por alguns dos principais clubes europeus e será o jogador que vai render mais aos cofres do Dragão, tendo o entendimento sido estabelecido por 50 milhões de euros. Já o médio francês, que custou 20 milhões de euros no início da época, recrutado ao Marselha, deverá ser negociado por 30 milhões, de acordo com informações recolhidas junto de fonte próxima do processo.

Este é o entendimento a que a SAD do FC Porto chegou nas últimas semanas com os emblemas/investidores interessados nos dois jogadores, ainda que faltem definir alguns pormenores e até ao final da temporada possam existir alterações, nomeadamente se surgirem outros interessados e dispostos a pagar mais por um ou ambos os futebolistas. Neste caso, sabe o DN, o acordo já estabelecido prevê que os interessados possam igualar a nova oferta.

Brahimi, de 25 anos, esteve com um pé fora do FC Porto no início da época, mas a SAD convenceu o extremo a permanecer pelo menos mais uma temporada, com a promessa de o deixar sair em junho de 2016. PSG (França), Bayern de Munique (Barcelona) e Manchester City (Inglaterra) foram dos clubes apontados ao jogador, com o emblema parisiense a surgir como a preferência do médio.

Já Imbula, 23 anos, surgiu como uma oportunidade de negócio no início da temporada, mas com a expectativa de ser vendido no final da época. É verdade que o francês ainda está longe de convencer, tendo ficado mesmo de fora das últimas convocatórias, mas os interessados nunca desapareceram, com o Valência à cabeça.

A confirmar-se o negócio envolvendo 80 milhões, o FC Porto só veria entrar nos seus cofres 55, isto porque os dragões só têm 50% do passe de Brahimi. Ainda assim, sabe o DN, o clube da Invicta poderá ainda negociar a compra do restante passe do franco-argelino, que pertence à Doyen.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.