Dalot, o primeiro português de Mourinho em Old Trafford

Lateral de 19 anos estava a um ano de finalizar contrato com o FC Porto. Deixa os 20 milhões de euros da cláusula numa operação que pode ser oficializada muito em breve

Diogo Dalot vai ser o quinto português a representar o Manchester United - depois de Ronaldo, Nani, Bebé e Joel Pereira -, mas o primeiro desde que José Mourinho é treinador dos red devils.

Ao que o DN apurou, o negócio está praticamente concluído e os ingleses vão limitar-se a depositar os 20 milhões de euros da cláusula de rescisão do defesa de 19 anos, pois não é necessária qualquer negociação entre as partes. O anúncio deve ser feito muito em breve, segundo confidenciou ao DN uma fonte bem colocada no processo.

O lateral polivalente fez apenas seis encontros pela equipa principal do FC Porto, os suficientes para se sagrar campeão e confirmar as suas qualidades ao mais alto nível.

A um ano de terminar contrato com o FC Porto, os dragões perceberam que ia ser muito complicado renovar com Diogo Dalot, cuja dificuldade era basicamente de escolha, pois havia vários pretendentes ao seu concurso dos mais importantes campeonatos.

Este é o segundo lateral direito que o FC Porto transaciona neste mercado... ambos para Inglaterra. O primeiro foi Ricardo Pereira, para o Leicester, também por 20 milhões de euros, o que significa que em dois elementos do setor mais recuado o FC Porto garante um encaixe de 40 milhões de euros.

No entanto, há aqui um pormenor a assinalar; quer Ricardo Pereira quer Diogo Dalot estavam apenas a um ano do final do contrato, ou seja, esta era uma das últimas oportunidades de o FC Porto realizar um encaixe financeiro significativo.

Mas há mais futebolistas a um ano do final do contrato, existindo três - Herrera, Brahimi e Gonçalo Paciência - que são um problema de enorme complexidade a ser gerido pelo campeão nacional, que precisará de tomar uma de duas decisões: vender já ou renovar, para que não se repitam problemas como aqueles que aconteceram com Marcano, que está a caminho da Roma, Casillas e Aboubakar, ainda que este último tenha prolongado o seu contrato ainda em outubro de 2017.

Aposta para o futuro

Em Inglaterra, o interesse em Diogo Dalot é visto como uma aposta para o futuro do Manchester United. A imprensa britânica perde-se em elogios ao jovem internacional sub-21, primeira contratação dos red devils para a próxima época, mas sustenta que o lateral direito que José Mourinho vê como titular para o lado direito da defesa é o francês Sidibé, atualmente ligado ao Mónaco. No entanto, a contratação do jogador orientado por Leonardo Jardim, depois dos monegascos terem vendido Fabinho ao Liverpool por 40 milhões de euros, pode não ser assim tão fácil de concretizar. Para início de conversa o clube do principado quer ver em cima da mesa 50 milhões de euros.

Isto prova que Diogo Dalot terá de esperar pela sua oportunidade, ainda que a mesma possa aparecer no flanco oposto, tal e qual surgiu na principal equipa do FC Porto quando Alex Telles se lesionou e Miguel Layún já se encontrava em Sevilha emprestado pelos dragões.

De Braga, onde jogava no Fintas, a Old Trafford muitas foram as peripécias do jovem atleta que tem uma irmã cantora e que esteve com um pé no Benfica após o Mundialito de 2007, em Vila Real de Santo António. Mas o FC Porto também surgiu e o coração azul e branco falou mais alto na hora da escolha.

E assim se iniciou uma epopeia que teve o seu ponto alto quando Diogo Dalot se estreou num encontro oficial pela principal equipa do FC Porto. Foi em Portimão, com 18 anos, 11 meses e sete dias, tornando-se o quinto jogador mais jovem a estrear-se pelo FC Porto no século XXI, atrás de Bruno Gama, Rúben Neves, Anderson e Paulo Machado.

Mas Dalot teve outra distinção já durante este ano de 2018, ao integrar o melhor onze de jogadores nascidos a partir de 1999. E não se pode dizer que o bracarense estivesse mal acompanhado. Senão vejamos: Gianluigi Donnarumma (AC Milan), Diogo Dalot (FC Porto), Malang Sarr (Nice), Matthijs de Ligt (Ajax), Ryan Sessegnon (Fulham), Brahim Diaz (Manchester City), Kai Havertz (Bayer Leverkusen), Phil Foden (Manchester City), Vinícius Júnior (Flamengo), Moise Kean (Hellas Verona) e Justin Kluivert (Ajax).

O futuro começa agora para Diogo Dalot, que ainda recupera de uma lesão no menisco, nada que o impeça de abraçar a enorme aventura que é de jogar na Premier League no Manchester United treinado por José Mourinho.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG