Bruno Alves sela vitória do FC Porto na Supertaça

O tetracampeão português FC Porto ergueu hoje a sua 16ª Supertaça Cândido de Oliveira em futebol, ao vencer o Paços de Ferreira, por 2-0, com golos de Farias e Bruno Alves, no jogo disputado em Aveiro.

À terceira tentativa foi de vez e depois de ter perdido as duas últimas edições para o Sporting, o FC Porto voltou a erguer o troféu que faltava ao currículo do técnico Jesualdo Ferreira no comando dos "dragões".

Belluschi, Álvaro Pereira e Varela foram as novidades mais ou menos esperadas, entre as caras novas do plantel, no "onze" dos tetracampeões, que surgiu algo desligado e com dificuldades em pegar no jogo.

O encontro principiou sob a toada amarela do Paços de Ferreira que, em apenas cinco minutos, importunou por duas vezes a baliza do FC Porto, com Helton a negar o golo a Ricardo, aos três, e a Cristiano, aos oito.

O FC Porto, a denotar alguma falta de coesão e acerto na transição ofensiva, só aos 21 minutos conseguiu levar a bola a rondar a baliza de Cássio, mas o "chapéu" de Varela saiu alto e sem direcção.

Aos 22 minutos, na sequência de um centro atrasado de Hulk, após um bom trabalho na esquerda, em força, Belluschi surgiu em bom posição para chegar ao golo, mas o remate saiu à figura de Cássio.

No minuto seguinte, o perigo voltou a rondar a baliza do Paços de Ferreira, na sequência de um remate de Varela defendido por Cássio, num lance que nasceu de uma recuperação de bola de Belluschi no centro do terreno.

Até ao final da primeira parte, a excepção na monotonia em que o jogo se arrastou foram dois livres cobrados sobre a linha da grande área de cada uma das balizas, mas a bola não passou as respectivas barreiras.

Para a segunda parte, que começou algo quezilenta e com cartões amarelos a Anunciação (47), Romeu (48) e Bruno Alves (48), Jesualdo Ferreira recorreu a Farias para o lugar de Belluschi, na tentativa de pegar no jogo.

A aposta do treinador portista deu frutos logo aos 59 minutos, quando um erro grave do guarda-redes Cássio, a tentar jogar com os pés, permitiu a Farias interceptar a bola e colocar o FC Porto a vencer por 1-0.

Hulk, aos 67 minutos, rematou forte, mas por cima da baliza do Paços de Ferreira e, aos 71 minutos, o brasileiro foi travado em falta por Ozéia, que viu o cartão amarelo quando arrancava para a baliza de Cássio.

Aos 75 minutos, na sequência de uma bola que parecia controlada por Kelly, junto à linha, Mariano insistiu, entrou na área e rematou com perigo, mas ao lado do poste direito da baliza do Paços de Ferreira.

O perigo voltou a rondar a baliza do Paços de Ferreira aos 78 minutos, com um cabeceamento de Farias defendido por Cássio, a centro de Raul Meireles, e num alívio defeituoso de Kelly.

O FC Porto voltou a introduzir a bola na baliza do guarda-redes Cássio aos 80 minutos, novamente por Farias, a passe de Hulk, mas o árbitro Jorge Sousa anulou bem a jogada, por fora-de-jogo do argentino.

Os tetracampeões, a pressionar e a explorar o atrevimento do Paços de Ferreira, balanceado no ataque, elevaram a vantagem com um cabeceamento de Bruno Alves aos 89 minutos, na sequência de um canto de Raul Meireles. 

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG