Exorcizar fantasmas de mundiais passados no Qatar

Portugal vai jogar com Gana, Uruguai e Coreia do Sul (treinada por Paulo Bento). Fernando Santos olha para o "copo meio cheio" na questão do favoritismo e revelou o lado positivo de ser a última seleção a entrar em campo. Estreia-se com o Gana no dia 24 de novembro. Jogadores disponíveis dez dias antes apenas.

É permitido sonhar, leia-se ser campeão do Mundo, segundo Fernando Santos. Mas para isso é preciso exorcizar fantasmas de Mundiais passados e passar a fase de grupos. Hoje, o sorteio deu uma ajudinha. Portugal ficou no grupo H, com Gana (ligado à eliminação da seleção no Mundial 2014), Uruguai (afastou a seleção nos oitavos de final do Mundial 2018) e a Coreia do Sul de Paulo Bento (eliminou a seleção no Mundial 2002, num jogo marcado pela agressão de João Vieira Pinto, agora diretor da seleção nacional, ao árbitro).

Esta é a terceira vez que Portugal tem um grupo sem qualquer adversário europeu. Tinha acontecido em 2006 (chegou às meias finais com Scolari) e 2010 (oitavos de final com Carlos Queiroz). "Não há grupos fáceis, nem difíceis, mas desta vez há a questão de irmos defrontar seleções de três continentes diferentes. É com expectativa que vejo este sorteio. A Coreia do Sul e o Gana são equipas que conhecemos menos bem ao nível do seu desempenho. Conheço bem a Coreia do Sul porque está lá o Paulo Bento. O Uruguai defrontámos no último Campeonato do Mundo", lembrou o selecionador nacional, que vai para o seu terceiro Mundial (o segundo com a seleção portuguesa).

Fernando Santos não vai na cantiga do favoritismo, mas, desta vez, diz que há duas formas de olhar para o estatuto da seleção: "Podemos olhar para o copo meio cheio ou meio vazio. Se olhássemos para o Mundial anterior, o Uruguai seria o favorito. Se olharmos para o ranking, então Portugal (8.º da lista mundial de seleções) é o favorito. Mas não podemos esquecer-nos do Gana e da Coreia do Sul, que têm feito um percurso muito forte."

A seleção nacional foi a última dos oito cabeças de série a ser sorteada e por isso colocada no grupo H, sendo assim uma das últimas seleções a entrar em campo. A estreia é com o Gana, no dia 24 de novembro. "O facto de começarmos a jogar a 24 pode evitar algumas questões. Nesse aspeto o sorteio foi bom, porque jogar a 21, tendo os jogadores teoricamente apenas a 14, e nessa semana com competições europeias, é de facto melhor para começar", disse o engenheiro, revelando assim que a seleção se deverá concentrar no dia 14 de novembro.

Preparar um Campeonato do Mundo em 14 dias será um desafio enorme para os 32 técnicos nacionais. "Quando se vem para a fase final de um Mundial, não se podem esperar sorteios fáceis. Não é de bom tom, é estar a acreditar em milagres que não existem. Creio que, sendo um grupo difícil para nós, considero que Portugal e Uruguai são os favoritos à partida. A maior parte das pessoas concordarão", disse Paulo Bento à Antena 1, ele que no final do evento da FIFA esteve uns minutos à conversa com Fernando Santos.

Já para o selecionador uruguaio, "o grupo é muito equilibrado" e os quatro têm possibilidades de passar a fase de grupos: "Estamos muito entusiasmados. Apostamos em ganhar os jogos que temos pela frente, mas será difícil superar qualquer uma das equipas. Fosse qual fosse o adversário, seria sempre bom. Neste caso, Coreia do Sul, depois Portugal e Gana é o que nos calhou. Encaramos com otimismo, respeitando muito o que teremos pela frente, mas com confiança no que temos", garantiu Diego Alonso, olhando para o "lado bom" de um mundial no inverno: "Os jogadores chegam menos cansados."

O Gana foi mais exuberante na reação. Para os africanos há um resultado a vingar... e não é frente a Portugal. No Mundial de 2010, Luis Suárez fez de guarda-redes e tirou um golo feito aos africanos. Foi expulso na sequência da jogada, mas o crime acabou por compensar e uruguaios avançaram para as meias-finais. "Acreditamos que é a hora da vingança. Sentimos que ganhámos de forma clara aquele jogo, mas depois aquela defesa do Suárez... Será muito interessante jogar de novo contra eles, obviamente temos memórias profundas. É importante acertar contas", atirou o presidente da Federação do Gana, Kurt Okraku.

Cruzar com o Brasil nos oitavos de final

A seleção portuguesa vai disputar a oitava fase final de um Mundial, e sexta consecutiva, depois de 1966, 1986, 2002, 2006, 2010, 2014 e 2018, tendo como melhor registo o terceiro lugar da estreia, numa edição em que Eusébio marcou nove golos. Fazer melhor é o lema da geração Ronaldo. Se passar a fase de grupos, Portugal poderá ter de jogar com o Brasil nos oitavos de final, uma vez que o Grupo H cruza com o G, dos pentacampeões. E se chegar aos aos quartos de final, a formação de Fernando Santos já sabe que poderá encontrar um adversário proveniente dos agrupamentos E (conta com Espanha e Alemanha) ou F (tem Bélgica e Croácia).

O Mundial 2022 arranca dia 21 de novembro, em Doha, com o anfitrião Qatar a medir forças com o Equador. Quem chegar a dia 18 e conquistar a Taça Jules Rimet, além da glória desportiva, receberá 38 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG