"O coração aguenta, tem de aguentar. Faltam duas batalhas"

Fernando Santos não se cansa de dizer que só irá embora de França após a final. Ontem elogiou Pepe e... Cristiano Ronaldo

Não há uma conferência de imprensa, um discurso, em que Fernando Santos não vaticine que a seleção portuguesa vai chegar à final do Campeonato da Europa. E a verdade é que já está nas meias-finais! Ontem, já depois de terem vencido a Croácia aos 117 minutos do prolongamento, afastaram a Polónia na lotaria das grandes penalidade. Haja coração! Fernando Santos diz que o dele aguenta, mesmo com penáltis nos próximos dois jogos.

"O coração aguenta, aguenta. Tem de aguentar. Faltam duas batalhas até à grande festa. Soubemos sofrer. Os últimos dois jogos foram muito desgastantes, mas lutámos muito. Não me importo de sofrer por fora, pois sei que os jogadores estão a dar tudo. O coração aguenta isto tudo. Conhecíamos bem o adversário, sabíamos tudo o que eles iam fazer, preparámos tudo para isso, construímos a equipa para lhes travar o meio-campo, mas ao início isso não correu bem, fruto da inexperiência e juventude, isso às vezes paga-se um bocadinho", disse o selecionador, confessando que terá sido fundamental a sua mudança de estratégia a meio do primeiro tempo.

"Aos 20 minutos tive que alterar a forma de jogar para um 4-4-2, com o Nani a jogar como segundo avançado, e aí correu bem, fomos sempre a melhor equipa quando alterámos o esquema. Conseguimos o golo e, a partir daí, o jogo mudou, Portugal acalmou, começou a tomar conta dos acontecimentos, frente a uma equipa complicada, que pode ser muito matreira. Já sabíamos disso, que têm um contra-ataque muito veloz, jogadores rápidos e um ataque feroz. Mas soubemos travar isso tudo", disse o selecionador nacional, salientando depois que o empate até foi injusto para os seus jogadores.

"Se formos a analisar o jogo todos, os 120 minutos, até acabámos por ser nós a criar as melhores oportunidades de golo e podíamos ter marcado mais vezes, tanto na primeira como na segunda parte. Se calhar não merecíamos decidir o jogo só nas grande penalidades. Acabou por ser aí, fomos melhores, como no jogo todo", afirmou Fernando Santos, dando os parabéns aos seus jogadores e uma palavra de apreço especial ao capitão Cristiano Ronaldo, que tem sido bastante criticado pelo desacerto na hora da finalização.

"Temos de realçar que a equipa tem um espírito de união fantástico. Só uma seleção com grande personalidade é que vai para os penáltis com consciência de que vai ganhar e com sangue frio. Os jogadores fizeram questão de dizer logo que queriam marcar em primeiro, segundo, terceiro. Isso demonstra toda a confiança deles, o grupo acredita em todos e isso é muito importante. Não se pode falar apenas de uma exibição em termos individuais, mas posso dizer que o Pepe fez um jogo fantástico, o Cristiano foi de uma entrega ao jogo fantástica. As pessoas quando falam dele só falam se fez golo ou não, se não fez não esteve bem e por aí fora. É verdade, não fez golo, só quando marcou a grande penalidade, mas fez uma exibição fantástica", salientou o treinador português.

Com a Polónia afastada, segue-se agora o jogo das meias-finais, cujo adversário será conhecido hoje - País de Gales ou a Bélgica. Fernando Santos volta a demonstrar otimismo, salientando que só espera sair de França no próximo dia 11, precisamente um dia a seguir à final do Europeu.

"Agora vamos mais seis dias para Marcoussis [a meia-final disputa-se na próxima quarta-feira, dia 6 de julho] e eu continuo a acreditar que só no dia 11 é que vou para Portugal, depois da final. Já disse isso muitas vezes e vou voltar a dizer. Aliás, a equipa acredita, eu acredito, estamos todos unidos e vamos lutar com tudo para dar uma grande alegria aos adeptos portugueses, que tanto merecem. Foi isso que prometemos. Isto é assim, de batalha em batalha, até à batalha final", salientou Fernando Santos, mais confiante do que nunca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG