Cerca de 200 emigrantes receberam Portugal em Marcoussis

A seleção nacional vai cumprir o primeiro treino em terras gauleses durante a tarde, perante o apoio de mil adeptos

Cerca de 200 emigrantes receberam hoje em festa a seleção portuguesa de futebol em Marcoussis, embora no final tenha existido alguma desilusão devido à passagem rápida do autocarro, antes entrar no complexo em que vai ficar instalada.

A comitiva lusa chegou a Domaine de Bellejame, complexo de treinos da Federação Francesa de Râguebi, a cerca de 30 quilómetros de Paris, precisamente às 13:32 (horas locais), com duas centenas de adeptos à espera, quase todos vestidos com as cores da seleção nacional, e também algum aparato policial.

"Viemos dar um apoio grande à seleção. Não somos muitos já que é dia de trabalho, mas estamos com eles. É muito importante ter a equipa cá. Nós temos Portugal nas veias, é a nossa seleção e tê-los aqui é algo de especial", disse Rita Silva à agência Lusa, que vive em França desde 1990 e que acompanhada do seu filho Axel.

"Se conseguir ter uma foto com o Renato, o Quaresma e o Ronaldo é fixe", disse o adolescente de 17 anos.

Mal o autocarro que transportava a seleção nacional começou a descer a rua que dava acesso a Domaine de Bellejame, alguns adeptos começaram a gritar "Portugal, Portugal", outros preferiram cantar o hino nacional, mas tudo acabou por durar pouco mais de um minuto.

Rapidamente, e com a devida ajuda policial, o autocarro, que tinha muito pouca visibilidade para o interior, desceu a rua e entrou para o complexo.

"Vim aqui apenas para ver um autocarro passar", lamentou Rita, enquanto Axel esperava que alguns jogadores tivessem saído do transporte para assinar autógrafos e tirar fotografias.

Mesmo assim, alguns adeptos ficaram à porta do complexo aos saltos e a 'puxar' por Portugal, com Cristiano Ronaldo a ser o mais 'representado'.

Grande parte das camisolas da seleção tinha o número '7' e o nome do avançado do Real Madrid, mas também foi possível ver cores ligadas a Benfica e FC Porto.

"É um prazer imenso ter a seleção aqui. É formidável. Lembro-me quando a seleção estava cá em 1984 e que perdeu com aquele penálti do Platini. Sinto que fomos roubados nesse ano", disse José Silvério à Lusa, emigrante há quase 50 anos.

A primeira sessão em solo gaulês está agendada para as 18:30 (menos uma hora em Lisboa), num apronto que será totalmente aberto para a comunicação social e também para 1.000 adeptos. Antes, às 17:30, um jogador falará aos jornalistas em conferência de imprensa.

Portugal estreia-se no dia 14 de junho frente à Islândia, em Saint-Étienne, na primeira jornada do Grupo F, que inclui ainda Áustria e Hungria.

Ler mais

Exclusivos