Del Bosque critica atitudes de Casillas

Vicente del Bosque enviou mensagens a todos os jogadores após a eliminação do Euro 2016, menos ao guarda-redes do FC Porto

O espanhol Vicente del Bosque, que recentemente anunciou que não vai continuar no comando da seleção espanhola, criticou os comportamentos do guarda-redes Iker Casillas para com o selecionador e a sua equipa técnica, nomeadamente o preparador físico Javier Miñano e o treinador adjunto Toni Grande. "Com os companheiros tem estado bem, mas com a equipa técnica mais ou menos", explicou o técnico espanhol.

"O amuo de Casillas foi apenas connosco. Digo-o com toda a sinceridade. Com os companheiros esteve perfeito. De certeza que conversaremos no futuro. Não pode haver ressentimentos", acrescentou Del Bosque

Na ressaca da eliminação do Europeu, o agora ex-selecionador enviou uma mensagem de despedida a todos os jogadores menos a Iker Casillas. "O único a quem não mandei mensagem foi a Casillas. Não me caiu bem que se tenha portado mal com a equipa técnica."

Apesar das críticas, Vicente Del Bosque sente que o guarda-redes foi uma peça fundamental para a Espanha: "Deve sentir-se orgulhoso por ter estado tantas vezes na seleção. O seu currículo não sai beliscado com este Europeu. Se um dia for treinador vai perceber a dificuldade do papel. Casillas não me desapontou. Eu tenho memórias desde que o conheci aos 9 anos", concluiu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

E uma moção de censura à oposição?

Nos últimos três anos, o governo gozou de um privilégio raro em democracia: a ausência quase total de oposição. Primeiro foi Pedro Passos Coelho, que demorou a habituar-se à ideia de que já não era primeiro-ministro e decidiu comportar-se como se fosse um líder no exílio. Foram dois anos em que o principal partido da oposição gritou, esperneou e defendeu o indefensável, mesmo quando já tinha ficado sem discurso. E foi nas urnas que o país mostrou ao PSD quão errada estava a sua estratégia. Só aí é que o partido decidiu mudar de líder e de rumo.