Del Bosque critica atitudes de Casillas

Vicente del Bosque enviou mensagens a todos os jogadores após a eliminação do Euro 2016, menos ao guarda-redes do FC Porto

O espanhol Vicente del Bosque, que recentemente anunciou que não vai continuar no comando da seleção espanhola, criticou os comportamentos do guarda-redes Iker Casillas para com o selecionador e a sua equipa técnica, nomeadamente o preparador físico Javier Miñano e o treinador adjunto Toni Grande. "Com os companheiros tem estado bem, mas com a equipa técnica mais ou menos", explicou o técnico espanhol.

"O amuo de Casillas foi apenas connosco. Digo-o com toda a sinceridade. Com os companheiros esteve perfeito. De certeza que conversaremos no futuro. Não pode haver ressentimentos", acrescentou Del Bosque

Na ressaca da eliminação do Europeu, o agora ex-selecionador enviou uma mensagem de despedida a todos os jogadores menos a Iker Casillas. "O único a quem não mandei mensagem foi a Casillas. Não me caiu bem que se tenha portado mal com a equipa técnica."

Apesar das críticas, Vicente Del Bosque sente que o guarda-redes foi uma peça fundamental para a Espanha: "Deve sentir-se orgulhoso por ter estado tantas vezes na seleção. O seu currículo não sai beliscado com este Europeu. Se um dia for treinador vai perceber a dificuldade do papel. Casillas não me desapontou. Eu tenho memórias desde que o conheci aos 9 anos", concluiu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.