Casillas diz adeus à seleção espanhola?

Guarda-redes do FC Porto deixou uma mensagem enigmática nas redes sociais. Na próxima fase final, na Rússia, teria 37 anos

Iker Casillas deixou ontem uma mensagem curiosa e enigmática nas redes sociais a insinuar o adeus à seleção espanhola. O guarda-redes do FC Porto, que não jogou um minuto neste Europeu (David de Gea foi o titular da equipa de nuestros hermanos), escolheu um diálogo do final do filme Rambo II, na qual Silvester Stallone se vira para o coronel Sam Trautman e diz: "Não sei para onde, mas vou-me embora. Regressar para quê, os meus amigos morreram aqui, parte de mim morreu aqui." O vídeo vem acompanhado da seguinte mensagem: "Orgulloso pelo carinho demonstrado em #GraciasCasillas. Todos com a Seleção hoje e sempre."

De imediato, em Espanha, os sites online dos principais jornais apressaram-se a considerar que se tratava do adeus de Casillas à seleção espanhola, que foi eliminada nos oitavos-de-final diante da Itália, com uma derrota por 2-0. Mas à falta de confirmação oficial ninguém quis arriscar que se trata mesmo de um adeus definitivo. É que o vídeo em causa pode ter outra leitura, pois com a eliminação precoce no Campeonato da Europa de França o lugar do selecionador Vicente del Bosque está em perigo.

Iker Casillas está atualmente com 35 anos e a próxima fase final de uma grande prova de seleções só se realizará em 2018, precisamente o Mundial da Rússia. Na altura, o guardião terá 37. Casillas, apesar de não ter feito qualquer aparição neste Europeu, continua a ser o jogador espanhol de sempre com mais internacionalizações - 167. Foi com ele na baliza que, por exemplo, a Espanha se sagrou campeã da Europa (2008 e 2012) e campeã do mundo (2010). Agora, ao que tudo indica, chegou a hora de dizer adeus, podendo dedicar--se a tempo inteiro ao FC Porto, clube pelo qual ainda tem mais dois anos de contrato para cumprir.

Del Bosque, que futuro?

O Euro 2016 terminou mais cedo para a Espanha e com ele encerrou-se também um ciclo vitorioso. Além do provável adeus de Iker Casillas, também o selecionador Del Bosque deverá deixar o cargo. Segundo a imprensa espanhola, está prevista uma reunião entre o treinador a Ángel María Villar, presidente da federação espanhola, para o dia 14 de julho. E, ao que tudo indica, as partes vão acertar a saída.

Em Espanha fala-se já na sucessão. Além de Julen Lopetegui, antigo treinador do FC Porto, outros nomes têm surgido como fortes possibilidades para o ocupar o cargo. É o caso de Joaquín Caparrós, apontado como o técnico preferido de Villar caso Del Bosque não aceite continuar.

A sucessão do ainda selecionador espanhol, contudo, poderá até ser um problema para outro presidente da Federação espanhola. É que Villar acumula atualmente o cargo com o de presidente interino da UEFA, depois da suspensão de Michel Platini. Ainda de acordo com a imprensa do país vizinho, Villar está a ser pressionado para assumir uma candidatura definitiva ao cargo máximo do futebol europeu, pelo que se adivinham também eleições antecipadas na federação do país vizinho. Das duas uma, ou Villar arruma o tema Del Bosque nas próximas semanas, ou então deixa o assunto nas mãos de um futuro presidente, isto se realmente decidir avançar para a liderança da UEFA.

Refira-se que depois da eliminação do Campeonato da Europa, a seleção de Espanha só volta a jogar uma partida oficial no próximo dia 5 de setembro, concretamente contra o Liechtenstein, jogo esse já relativo à fase de apuramento para o Campeonato do Mundo de 2018, que se realizará na Rússia.

Ler mais

Exclusivos