Abel Xavier diz que últimas derrotas com França servem para motivar

Abel Xavier ficou ligado diretamente à meia-final de 2000 contra a França, pelo penálti que cometeu já no prolongamento, dando a vitória aos franceses

O antigo futebolista Abel Xavier, que representou Portugal nas meias-finais do Euro 2000 contra a França, afirmou que as derrotas com os gauleses nos últimos encontros vão servir de motivação para a final de domingo.

"O que importa é o presente e o futuro. Ser em Paris dá-nos mais incentivo, mas não tenho dúvidas que a França foi a seleção mais complicada e a nossa rival nos últimos tempos. Não tenho dúvidas que essas questões vão servir de motivação e de preparação do jogo por parte do selecionador", afirmou à Agência Lusa Abel Xavier, referindo-se aos resultados negativos alcançados por Portugal diante a França.

Abel Xavier ficou ligado diretamente à meia-final de 2000, pelo penálti que cometeu, já no prolongamento, dando a vitória aos franceses, graças ao 'golo de ouro' de Zinedine Zidane, num lance que motivou muitos protestos da arbitragem.

"Do incidente em 2000, o que marca e pesa é o que influência e condiciona a verdade do jogo. Naquele momento, não éramos suficientemente fortes para que a verdade pudesse ser neutra, mas há evolução. Não tenho dúvidas que a força de Portugal a nível europeu é diferente e é isso que me faz acreditar que temos capacidade de discutir a final", referiu.

Sobre a prestação de Portugal neste Euro2016, o atual selecionador de Moçambique destaca o "pragmatismo" demonstrado pelos comandados de Fernando Santos.

"Depois de um percurso com dificuldades iniciais, em que o grupo soube reagir, tivemos uma humildade enorme na abordagem aos jogos. Conseguimos competir na gestão do jogo, pois existe uma qualidade intrínseca no jogador português. Esta seleção trouxe pragmatismo e inteligência posicional ao jogador português. Estamos na final por mérito. Estão criadas as condições para ganharmos. Tivemos um percurso difícil e esta final pode galvanizar os jogadores no momento da final", referiu.

Já sobre o apoio dos portugueses em França, Abel Xavier que somou 20 internacionalizações pela seleção das 'quinas', salienta a responsabilidade acrescida dos atletas.

"O foco é a preparação perante o adversário. Depois, quando a equipa é exposta, é confrontada de forma positiva com o apoio dos portugueses. O jogador sente-se mais responsável, porque apesar de fazer história a nível individual, o jogador sente tudo, sente a afirmação do país, pois é uma camisola que não tem preço, é impar", disse à Lusa.

Abel Xavier considerou de forma clara que "estão reunidas todas as condições para que estejam em campo três grandes equipas e grandes adeptos" e para que no fim Portugal possa conseguir o mais importante, que é "ganhar".

Na quarta-feira, em Lyon, Portugal venceu o País de Gales, por 2-0, com golos de Cristiano Ronaldo, aos 50 minutos, e de Nani, aos 53, e alcançou a segunda final da sua história, depois da presença na decisão de 2004, que culminou com uma derrota diante da Grécia, em solo luso.

Na final, a seleção portuguesa terá pela frente a anfitriã França, que na quinta-feira bateu a Alemanha, por 2-0, em Marselha, com dois golos do melhor marcador do torneio, Antoine Griezmann.

A final do Euro2016 está marcada para domingo, às 21:00 locais (20:00), no Stade de France, em Saint-Denis, com arbitragem do inglês Mark Clattenburg.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG