"Desde miúdo que o meu objetivo é chegar a n.º 1 do mundo"

Entrevista com Ricardo Melo Gouveia, primeiro português a vencer o Challenge Tour de golfe

Um ano de êxitos garantiu-lhe acesso à divisão de elite europeia na próxima temporada. Fã de Rory McIlroy, sente que o seu jogo está pronto para o European Tour e quer ascender ao top 50 do ranking mundial em 2016. A caminho do sonho maior, como refere ao DN, por e-mail, desde Londres.

Primeiro português a ganhar o Challenge Tour, primeiro português no top 100 mundial, entrada direta garantida no European Tour de 2016, estar à frente de Tiger Woods no ranking... Ainda havia algo mais a pedir de 2015?

Acho que a única coisa que poderia ter acontecido mais, e que não aconteceu, era vencer três vezes no Challenge Tour num só ano, mas para mim foi uma época muito boa e estou muito contente.

De todos esses feitos, aos quais se pode ainda acrescentar o recorde de ganhos monetários num ano do Challenge Tour ou o mais alto ranking de sempre para um jogador desse circuito (84.º, em igualdade com Edoardo Molinari), qual foi aquele que lhe deu maior satisfação?

Vencer o ranking do Challenge Tour. Acho que este feito é o mais importante de todos, pois mostra a consistência que tive durante todo o ano.

Tornou-se profissional apenas em agosto de 2014. Pouco mais de um ano depois já está a entrar no European Tour. Estava à espera desta escalada tão rápida?

Sinceramente não, mas fui acreditando cada vez mais com o passar do tempo. É bom ver os frutos de todo o trabalho aparecerem na melhor altura.

Tem dito sempre que isto não lhe é suficiente, que o seu foco está em chegar a ser o melhor (ou um dos melhores) do mundo. De onde lhe vêm essa confiança e ambição?

Não sei, mas eu desde miúdo que tenho esse objetivo.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG