Dérbi sem vénia ao campeão mas com outras contas para ajustar

Com o título já definido, o Benfica-Sporting de hoje ainda alimenta esperanças às águias em chegar ao 2.º lugar e no caso do Sporting o objetivo é continuar sem derrotas no campeonato.

Mesmo com os leões já com o título de campeão nacional 2020-21 no bolso, o dérbi de hoje (18.00, BTV) entre o Benfica e o Sporting, além da paixão que desperta, tem pelo menos mais três focos de interesse. Logo à partida o facto de a equipa de Rúben Amorim poder continuar sem derrotas no campeonato. E ainda a possibilidade (remota por não dependerem de si) de as águias alimentarem o sonho do segundo lugar, que dá acesso direto à Champions, e mais um capítulo da luta Seferovic/Pedro Gonçalves na luta pelo troféu de melhor marcador do campeonato (têm ambos 18 golos).

Mesmo em caso de vitória no dérbi eterno, o sonho do clube da Luz de chegar ao 2.º lugar pode não durar mais de duas horas. Isto porque o FC Porto entra em campo imediatamente a seguir - joga em Vila do Conde às 20.30 -, e caso saia vencedor assegura logo o segundo posto e o apuramento direto para a Champions. Mas se perder ou empatar, e sempre no caso de triunfo benfiquista no dérbi, esta decisão fica adiada para a última jornada.

Já o objetivo do Sporting é diferente. A equipa de Rúben Amorim tem mais uma meta assumida até ao final da temporada, que passa por terminar o campeonato sem derrotas. Os leões vão em 32 jogos sem perder e podem tornar-se o primeiro clube a acabar invicto um campeonato com mais de 30 jornadas. Se o conseguirem, ficarão mesmo assim muito longe do recorde de invencibilidade dos outros rivais em mais do que uma época, já que o Benfica esteve 56 jogos sem perder, entre 1976/77 e 1978/79, e o FC Porto 55, entre 2009/10 e 2011/12.

O outro foco de interesse é a Bota de Ouro, que premeia o melhor marcador do campeonato. Seferovic e Pedro Gonçalves estão empatados, ambos com 18 golos, mas a duas jornadas do final do campeonato há que contar ainda com Taremi, avançado do FC Porto, e Mario González, do Tondela, que seguem logo atrás com 15 golos.

Guarda de honra sem polémica

A possibilidade de o Benfica fazer uma guarda de honra ao Sporting, a exemplo que do que passa em alguns campeonatos europeus, chegou a ser levantada esta semana, apesar de não ser tradição em Portugal. E se dúvidas havia, Jorge Jesus tratou ontem de as desfazer. "Guarda de honra ao campeão Sporting? Isto não é por aquilo que acho, é por aquilo que é tradição em Portugal. Felizmente posso dizer que já venci três vezes o campeonato em Portugal e ninguém me fez guarda de honra. É normal dar os parabéns, algo que eu já fiz", referiu.

Quanto ao jogo, o técnico benfiquista lembrou que os dérbis "são sempre apaixonantes", mas lembrou que este "não será tanto devido à ausência de público no estádio". "Para mim, já nem sei quantos dérbis são. Alguns 20... Estou habituado, vai ser um jogo emotivo, como sempre, e equilibrado. Independentemente dos objetivos do momento de Sporting e Benfica, é um jogo com responsabilidade acrescida. É sempre com responsabilidade, porque este clube joga sempre para ganhar. Que seja um bom jogo, jogado pelas três equipas, incluindo a de arbitragem, que contém o VAR e por aí fora. Que seja um jogo sem casos. Que o Benfica jogue dentro daquilo que sei que tem capacidade para fazer", expressou Jesus.

Apesar de considerar difícil, o treinador benfiquista ainda diz acreditar no segundo lugar. "Apesar de ambas as equipas terem jogos difíceis, mais concretamente o Benfica, porque joga o dérbi, que é sempre um jogo difícil. Mas estamos à espreita, alerta e conscientes das dificuldades. No futebol já vi acontecer tanta coisa, portanto estou preparado para tudo", atirou.

Rúben Amorim não deu grande importância e até desvalorizou a recusa do Benfica em fazer a guarda de honra ao campeão Sporting. "Foram dados os parabéns. Não é uma tradição em Portugal, poderá vir a ser. Nós queremos é ganhar e toda a gente assinalou como um título justo. Para nós não é caso o Benfica não fazer vénia em Portugal porque não é tradição", disse em conferência de imprensa.

O treinador do Sporting negou ainda que os seus jogadores, já campeões, possam apresentar-se hoje na Luz de cabelos pintados. "Não vamos, obviamente, para casa de outro clube pintar o cabelo. Fizemos a festa em casa, teremos tempo mais um jogo em casa. Não vamos para lá festejar nada, vamos para ganhar mais um jogo importante. Ainda não perdemos um jogo com os chamados grandes", esclareceu, recusando também o rótulo de favorito: "Um dérbi é sempre dividido."

nuno.fernandes@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG