Convocou uma conferência de imprensa para dar uma lição a um jornalista. Sem papas na língua

Guarda-redes do Sporting de Gijón sentiu-se ofendido pela forma como foi retratado por um jornal e não se calou. Veja o insólito vídeo

É o caso que está a marcar o desporto espanhol esta terça-feira. O jogador do Sporting de Gijón Iván Cuéllar convocou uma conferência de imprensa para, literalmente, humilhar um jornalista, por causa da forma como este o descreveu no momento em que saia do autocarro para o jogo com o La Corunha.

Um jornal descreveu a atitude de Cuéllar a sair do autocarro como "um olhar de desafio para com os adeptos do Corunha".

Mas na realidade havia um adepto que estava naquele momento a ter um ataque epilético e a expressão de Cuéllar era de preocupação.

O jogador fez questão de explicar isso mesmo na referida conferência de imprensa. E fê-lo desta forma:

"Pensas que a informação que dás está correta? Sim ou não? Mandar um vídeo, sem mais e que cada um publique o que lhe der na real gana? Esse é o jornalismo no qual vivemos hoje em dia, para que tenhas uma ideia. Estou a falar contigo. É o jornalismo que, por exemplo, tu fazes. Pôr o que te dá na gana e nos 'cojones'. Isso parece-te bem? Jogar com a saúde de uma pessoa? Vai muito além de ser adepto do Sporting ou do Deportivo. Sabes o que se estava a passar naquele momento? Deste conta? És jornalista. Gravas um vídeo, envias ao teu jornal, e não escreves que uma pessoa estava a sofrer um ataque epilético?"

"A sério, és um bom jornalista? Permite-me o luxo de te dizer que és um idiota. E vou-te dizer uma coisa: não é nenhum insulto. Sabes porquê? É um adjetivo qualificativo. É o que tu fazes. Dar uma informação idiota, sabes? Fazer idiotices, publicar idiotices, é o que tu fazes. Não digo que o faças sempre, mas fizeste-o naquele momento. Estou aqui para me defender de uma coisa e de uma acusação que me fizeram, e que não é verdade. Entendes? Antes de um jogo muito importante para a minha equipa, preocupei-me com uma pessoa que estava a ter um ataque epilético e tu dizes que estou a enfrentar os adeptos?"

"Tu trabalhas para um jornal, tens de o defender. Defende-o agora, se conseguires. Defende-o, porque é ele que te paga. Nem mais uma, digo-te, nem mais uma! Porque eu não brinco com vocês. Eu digo as coisas na cara. E não estou para isto. Eu não leio jornais e informaram-me logo disto porque, ao fim ao cabo, estas coisas falam-se. Mas, fazerem-me isto... É de filho da p..., hein? Não me toquem nos 'cojones', não estou para isso. Só queria deixar isto claro."

E vai-se embora.

Relativamente ao adepto epilético, segundo os media espanhóis um dos médicos do Sporting de Gijón que saia do autocarro correu para o auxiliar mal se apercebeu da situação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG