Clubes aceitam dar sede da Liga como garantia no caso Totonegócio

Assembleia Geral aprovou ainda a a restituição da Comissão de Instrução e Inquéritos (CII)

Foram 16 os clubes da I e da II Liga, que aprovaram, esta quarta-feira, em Assembleia Geral Extraordinária, a restituição da Comissão de Instrução e Inquéritos (CII) e decidiram que organismo pode dar a sede como garantia à Autoridade Tributária, em virtude do processo Totonegócio.

Em julho passado os clubes decidiram a extinção da CII, mas face à não ratificação por parta da Federação Portuguesa de Futebol, o dossier voltou à Assembleia Geral da Liga. "Foi votada e aprovada a manutenção da Comissão de Instrução e Inquéritos, a manutenção desta comissão era necessária porque o regulamento de disciplina que havia sido aprovado pela assembleia geral da liga não foi ratificado na Federação. O que significa que este órgão teve de ser mantido por parte da liga", esclareceu José Mendes, presidente da mesa da AG da Liga.

A assembleia incumbiu a direção da Liga de escolher um novo nome, em caso de unanimidade, e, na falta de acordo, mantém-se Cláudia Santos na presidência.

Os representantes dos 16 clubes presentes na reunião, decidiram ainda que a direção pode dar a Sede da Liga como garantia à Autoridade Tributária, em virtude do processo Totonegócio. "O processo Totonegócio vem de trás, há uma divida antiga e a Liga tem de prestar uma garantia face à Autoridade Tributária. A assembleia mandatou a direção para prestar essa garantia, que é uma garantia sobre um imóvel da liga", lembrou José Mendes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG