Cidade do Futebol abre hoje e amanhã já recebe um torneio de sub-15

Marcelo Rebelo de Sousa estará presente na inauguração. Presidente da FIFA não vem, mas elogia a obra, tal como Ronaldo. António Costa adoeceu e não poderá estar presente

A Federação Portuguesa de Futebol festeja hoje 101 anos de vida com a inauguração da Cidade do Futebol. O evento merece honras de Estado. A começar no Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, passando pelo presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, até ao secretário de Estado do Desporto, Wengorovius Meneses, e ao presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Paulo Vistas.

Estão ainda convidados os sócios ordinários da FPF, antigos selecionadores e ex-jogadores internacionais, bem como presidentes dos clubes das competições nacionais de futebol e futsal, patrocinadores e forças de segurança.

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, não pode estar presente, mas já felicitou Fernando Gomes, pela "obra tão desejada para o futebol português e que marca de forma indelével o seu excelente mandato". E prometeu uma visita "ainda antes da fase final do Euro 2016".

Para o líder da FPF, é importante que se saiba que este é um "projeto pago sem dinheiros públicos", realça, elogiando "o complexo, que prefere o conforto ao luxo e é quase exclusivamente construído com mão-de-obra, materiais e know-how portugueses".

Visita guiada à "obra espartana"

Ontem, o diretor-geral da FPF, Tiago Craveiro, abriu caminho aos jornalistas numa visita guiada ao complexo, que vai reunir num só local todas as instalações da Federação, nomeadamente a sede, serviços, um centro logístico (armazéns de material de treino e de equipamentos, arquivo, áreas de apoio e manutenção dos campos de treino, lavandaria, etc.), um centro técnico (balneários, ginásio, centro de hidroterapia e um núcleo de escritórios destinado ao trabalho da equipa técnica e staff de apoio) e um núcleo central (centro de formação, grande auditório, restaurante, etc.).

A obra "é muito espartana", segundo Tiago Craveiro, que lembra a formação de "economista" do líder da Federação para explicar que o orçamento foi cumprido à risca. "O presidente é um escravo do rigor e não permitiu desvios ao orçamento, mesmo com alguns percalços iniciais que não estavam previstos. Não tem luxos nenhuns, nem acho que os jogadores queiram luxo. Eles querem é agilidade e rapidez, e isso este centro de treinos garante", explicou o dirigente.

Nas paredes de madeira do hall de entrada da presidência, antes do gabinete que será de Fernando Gomes, estão gravados os símbolo e iniciais dos 29 sócios da Federação, para que o presidente nunca esqueça quem o elege.

Vai receber estágio da seleção

A Cidade do Futebol nasceu precisamente no antigo parque de estacionamento do Jamor, propriedade do Instituo Português do Desporto e Juventude. Localizada no Alto da Boa Viagem, entre Queijas e Caxias, no concelho de Oeiras, tem cerca de 7 hectares (370 metros de comprimento e 220 metros de largura) e o hospital-prisão de Caxias e o Estádio Nacional como vizinhos.

Foi construída nos últimos 17 meses e no final de abril estará a funcionar em pleno, para em maio servir de base aos trabalhos da seleção portuguesa para o Euro 2016. O capitão Cristiano Ronaldo espera que "o complexo moderno e funcional também ajude a desenvolver o potencial das próximas gerações".

A Cidade do Futebol custou 15 milhões de euros e vai resolver muitos problemas de logística do treino. Só de 2014 a 2015 as seleções fizeram 663 sessões de trabalho, tiveram 752 dias de estágio e 163 jogos. Além disso, permitirá uma poupança de um milhão de euros por ano aos cofres da FPF.

António Laranjo, o "homem do Euro 2004", foi o diretor do projeto e não tem dúvidas de que este é "um dos melhores de sempre" na sua categoria. E confessa que foi "beber pormenores" a 25 centros de treino espalhados pelo mundo, incluindo quatro academias nacionais, para aliar à experiência da construção dos estádios do Euro 2004.

Já para o diretor da Cidade do Futebol, Daniel Ribeiro - ex-gestor de Eventos da UEFA -, "este projeto está a ser melhor do que gerir uma final da Liga dos Campeões". A começar já amanhã, quando os três relvados e meio forem estreados num torneio de sub-15 com 84 jogadores.

No dia 4, a Cidade do Futebol recebe o primeiro treino da seleção A feminina, de preparação para o jogo com a Espanha, de qualificação para o Euro 2017. "Ter um sonho ambicioso é fácil, difícil é transformar esse sonho em realidade, como a FPF conseguiu", elogiou a capitã Edite Fernandes à revista FPF 360.

[Notícia atualizada às 12:30. Primeiro-ministro estará ausente devido a doença]

Exclusivos