Catamarãs voadores com dose dupla em Portugal

Aumenta a importância de Portugal no panorama da vela internacional. Ao circuito Extreme Sailing Series (Cascais) soma-se agora o GC32 Racing Tour, no Algarve

Já planam em Lagos os catamarãs voadores do campeonato GC32 Racing Tour. É um campeonato exclusivamente europeu que pela primeira vez navega em mar português. E soma-se a outro campeonato com o mesmo barco, a Extreme Sailing Series, de âmbito mundial, cujas equipas estarão no próximo fim de semana em Cascais, para o quarto circuito da época (são oito, no total).

Trata-se, no caso do GC32 Racing Tour, de um campeonato com oito equipas, sendo Lagos a segunda prova de um total de cinco. A equipa de Cammas lidera a classificação geral.

Com o GC32 Racing Tour estão na cidade algarvia neste momento super estrelas da vela mundial como o francês Franck Cammas (vencedor da Volvo Ocean Race na edição 2011-2012) ou o britânico Ben Ainslie, um velejador com um currículo olímpico que dificilmente alguém um dia baterá (cinco medalhas em cinco edições dos jogos, sendo uma de prata e as restantes de ouro). Cammas é o skipper da equipa Norauto e Ainslie da Ineos Team UK. Ambos competiram na última edição da Taça América (a "Fórmula 1" da vela). Um português, Renato Conde, integra a equipa argentina Código Rojo.

As regatas - no máximo cinco por dia, com uma duração cada uma de 20 a 25 minutos - irão durar até ao próximo domingo. Até agora as condições de vento e de mar têm sido perfeitas. Os catamarãs já atingiram velocidades na ordem dos 30 nós e algumas equipas já falam na hipótese de fazerem de Lagos uma base no período de defeso entre campeonatos. Os principais patrocinadores portugueses do evento são a câmara de Lagos e o Turismo do Algarve, com um papel importante desempenhado pelos responsáveis da Marina da cidade e da Sopromar (um centro náutico local). O projeto é que este campeonato volte a Lagos nas próximas edições do campeonato.

Depois destes GC32 deixarem Lagos outros iguais do circuito mundial Extreme Sailing Series chegarão a Portugal, desta vez a Cascais, para regatas de 5 a 8 de julho. Este é um campeonato já com tradições no nosso país, embora por outras paragens (Porto, Lisboa e Funchal, até agora).

Sete equipas fazem permanentemente o campeonato, com participação extra de equipas locais em cada circuito. Uma portuguesa irá competir em Cascais. Aos portugueses desta equipa somam-se João Cabeçadas, chefe da equipa de terra da Alinghi (líder do campeonato) e Renato Conde (que tem a mesma função na SAP Extreme, equipa que vai em segundo lugar. Cascais é a quarta prova de um campeonato com oito. As regatas são mais curtas do que as do GC32 Racing Tour mas em maior número.

O GC32 é um catamarã de dez metros, tripulado por cinco velejadores, que dispõe de patilhões em forma de J invertido ("foils"). O efeito destes na água, semelhante ao efeito no ar dos flaps de um avião, fazem, com ventos favoráveis, os cascos levantaram-se acima da água. O atrito praticamente desaparece o que lhe aumenta brutalmente a velocidade.

Exclusivos