Carlos Queiroz admite terminar a carreira de treinador

Em declarações à Antena 1, o selecionador do Irão disse ir fazer uma reflexão após o Mundial 2018

Carlos Queiroz admitiu esta quinta-feira em entrevista à Antena1 a possibilidade de abandonar a carreira de técnico após o Campeonato do Mundo de 2018, que se realiza na Rússia no próximo verão. "Já são 36 anos como treinador. Impõe-se que se faça uma reflexão", atirou o atual selecionador do Irão.

Aos 64 anos, Queiroz diz que "valeu a pena alguns sacrifícios", lembrando que alcançou o objetivo de "qualificar três seleções para quatro campeonatos do mundo". A saber: África do Sul (2002), Portugal (2010) e Irão (2014 e 2018).

Sobre o seu trabalho no Irão, Carlos Queiroz assume que "existe paixão e qualidade, mas não há vontade e determinação das autoridades para levarem o futebol para a frente e assim será difícil". "País, adeptos e jogadores mereciam muito mais. Assim o futebol no Irão continuará a estagnar", resumiu.

Sobre as possibilidades da seleção portuguesa no Mundial da Rússia, afirmou que existe a "obrigação de pensar que se apresenta como um forte candidato a alcançar um dos três primeiros lugares", o que no seu entender e queria dizer que "a vitória no Europeu não foi uma coincidência".

Exclusivos