Bodo/Glimt quer mostrar vídeo que desmente a Roma e avança com queixa-crime

A reação surge depois de ter vindo a público na imprensa italiana que o técnico do Bodo/Glimt, Kjetil Knutsen, teria dado um murro a Nuno Santos, elemento da equipa técnica de José Mourinho.

O Bodo/Glimt pediu esta sexta-feira à UEFA que possa tornar público um vídeo que 'desmente' a versão de que o seu treinador Kjetil Knutsen tenha agredido alguém da equipa técnica da Roma, e apresentou uma queixa-crime contra Nuno Santos.

"A Roma está a bombardear a imprensa com inverdades, numa tentativa de branquear um comportamento antidesportivo. O Glimt sabe que há um vídeo do incidente, que mostra o ataque a Knutsen da parte de elementos da Roma. O clube viu o vídeo. Pedimos que o público tenha acesso ao vídeo que a UEFA tem", referem os noruegueses.

A reação desta sexta-feira do clube norueguês surge depois de ter vindo a público na imprensa italiana, através do jornal Il Messaggero, que o técnico do Bodo/Glimt, Kjetil Knutsen, teria dado um murro a Nuno Santos, elemento da equipa técnica de José Mourinho.

Ainda segundo o jornal, os incidentes teriam sido testemunhados por jogadores, entre os quais o 'capitão' romano Lorenzo Pellegrini, considerando "vergonhosa" a atitude de Knutsen, depois de confirmar a alegada agressão a Nuno santos.

Essa versão foi contrariada pelo treinador do Bodo/Glimt, com Knutsen a dizer que está estarrecido com o comportamento que a Roma teve neste jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga Conferência Europa, que os noruegueses voltaram a vencer (2-1).

Segundo Knutsen, tudo isto foi o culminar de um comportamento contra os regulamentos, em que o treinador de guarda-redes Nuno Santos saiu durante quase todo o jogo da zona onde lhe era permitido estar e esteve continuamente a insultá-lo.

"Tudo culminou numa agressão física a mim, já no túnel. Sou tão tranquilo, que costumo desligar. Neste caso, fui fisicamente atacado. Agarrou-me pelo pescoço e empurrou-me contra a parede. É normal que me tenha defendido", disse o treinador.

Kjetil Knutsen esclareceu ainda que não tem nenhum problema com a adrenalina e compromisso durante um jogo, que faz parte, mas defendeu que o comportamento "abusivo" que se viveu no encontro de quinta-feira não tem nada a ver com o que acontece todos os dias no futebol.

"O Glimt não vê outra solução a não ser a de apresentar uma queixa-crime na polícia contra Nuno Santos. É completamente inaceitável este comportamento", refere esta sexta-feira o clube em comunicado, frisando ter existido uma "sistemática provocação, manipulação e agressão" contra o seu treinador.

A finalizar, o clube diz esperar ainda uma reação da UEFA, em nome da não violência e 'fair-play'.

O Bodo/Glimt, que na fase de grupos da Liga Conferência Europa já tinha vencido em casa a Roma por 6-1 e que na quinta-feira voltou a vencer por 2-1, irá em 14 de abril disputar em Itália a segunda mão dos quartos de final.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG