Boavista quer criar equipa B 'low cost'

João Loureiro presidente dos axadrezados anunciou a criação de uma equipa B, em parceria com a Associação de futebol do Porto

O presidente do Boavista, João Loureiro, anunciou esta terça-feira no Porto que o clube do Bessa quer criar uma equipa B 'low cost' (baixo custo) em conjunto com a Associação de Futebol do Porto.

"É uma novidade que deixo aqui esta terça-feira, em conjunto com a Associação de Futebol do Porto, estamos a pensar em criar uma equipa B, mas uma equipa B 'low cost', que seja, no fundo, uma continuação da nossa formação", declarou João Loureiro, à margem da apresentação das obras de remodelação do parque desportivo de Ramalde, que decorreu hoje com a presença do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

João Loureiro explicou que a ideia do Boavista é "dar continuidade à equipa de juniores" e fazê-los "progredir como atletas", considerando que, apesar de haver jovens com qualidade, aqueles jogadores "acabam a sua formação" e, depois, "não conseguem entrar na equipa principal".

O presidente do Boavista referiu ainda que a melhor altura para o treino da equipa B 'low cost' deverá ser agendada para durante o dia.

"Durante o dia não há muita ocupação. Há mais ocupação naquelas horas ao fim da tarde (...). Como há espaço durante o dia vamos tentar também começar aqui com a nossa equipa B", disse.

João Loureiro acompanhou hoje Rui Moreira na apresentação pública das obras de reabilitação do parque desportivo de Ramalde, que tem agora uma nova pista de atletismo em tartan, com seis corredores e medidas oficiais, de acordo com as normas da International Association of Atlethics Federations, assim como um campo de relva sintética homologado para a prática de futebol de 11 e de rugby de acordo com as especificações da FIFA e World Rugby.

O parque desportivo de Ramalde vai durante os próximos 20 anos ser gerido pela empresa municipal Porto Lazer.

O Boavista Futebol Clube está atualmente em 10.º lugar na tabela classificativa da Liga de futebol.

Em 25 de dezembro de 2015, João Loureiro anunciava que ia requerer uma "audiência com a Câmara do Porto", argumentando que pretendia ser compensado pela autarquia portuense pela construção do seu estádio, tal como, alegava, tinham sido outras instituições.

"O Boavista não pode ser um filho menor da cidade do Porto e merece ser apoiado como todos os demais e, numa ótica construtiva, vamos ver em conjunto com a Câmara como é que podemos ter alguma compensação pelas injustiças que, no passado, foram cometidas contra nós", disse na altura.

Os 'axadrezados' sustentam que os problemas financeiros do clube e da sua SAD devem-se, principalmente, à construção do Estádio do Bessa.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.