Benjamin Mendy libertado e colocado sob supervisão judicial

Futebolista é acusado de sete violações contra quatro mulheres, incluindo uma menor, e uma de agressão sexual a uma quinta.

O futebolista internacional francês Benjamin Mendy, há vários meses em prisão preventiva, acusado de sete crimes de violação e um de abuso sexual, foi libertado esta sexta-feira e colocado sob supervisão judicial.

Após uma audiência em Chester, no noroeste de Inglaterra, o juiz Patrick Thompson decidiu libertar o defesa do Manchester City, campeão mundial em 2018, que estava em prisão preventiva desde o final de agosto.

O colega de equipa dos portugueses Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva é acusado de crimes ocorridos entre outubro de 2020 e agosto de 2021 e deverá começar a ser julgado a partir de 27 de junho ou 01 de agosto, quando inicialmente estava agendado para 24 de janeiro.

Agora, o futebolista, que foi suspenso pelo clube em agosto, sem explicações, pode sair da prisão de Manchester, uma das mais duras do país, para onde foi transferido, de Liverpool, em 23 de dezembro.

Ainda assim, em 24 de janeiro, haverá uma nova audiência preliminar, na qual esta medida mais leve pode ser revista.

O lateral-esquerdo de 27 anos é acusado de sete violações contra quatro mulheres, incluindo uma menor, e uma de agressão sexual a uma quinta, várias na sua residência em Prestbury, Cheshire.

Se se declarar inocente e for provada a sua culpa, incorre em pena que pode chegar a prisão perpétua.

Mendy, que começou no Le Havre, passou pelo Marselha e depois esteve uma época no Mónaco, tornou-se, em 2017, o defesa mais caro da história, quando o Manchester City pagou 60 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG