Real Madrid tem direito a 50% de futura venda de Garay

Benfica esclarece à CMVM que o central custou 5,5 milhões de euros e não 12,5 milhões como terá sido dito pelo presidente do Real Madrid Florentino Pérez

O Benfica enviou esta noite um comunicado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a esclarecer o montante que foi pago pelo central argentino Garay. Na nota emitida, os encarnados revelam que Real Madrid terá direito a 50% de uma futura transferência do defesa, cujo contrato é válido por quatro temporadas e tem uma cláusula de rescisão estipulada em 20 milhões de euros.

Antes deste comunicado, já o director de comunicação do Benfica, João Gabriel, desmentira à agência Lusa que Ezequiel Garay tivesse custado 12,5 milhões de euros, como foi hoje adiantado por alguma imprensa espanhola, reportando-se a alegadas declarações do presidente do Real Madrid Florentino Pérez.

"O Benfica já pediu ao Real Madrid que esclareça as declarações que vieram a público e que supostamente são atribuídas ao presidente do Real Madrid", disse à agência Lusa o director de comunicação dos encarnados.

João Gabriel advertira que, caso o Real Madrid "não aceda a esse pedido, ou não o faça em tempo útil", o Benfica "será obrigado" a vir a público divulgar "os verdadeiros valores e os termos da operação" que estão contratualizados e que "em nada correspondem aos valores agora divulgados".

O diretor de comunicação do Benfica esclareceu, ainda, que as transferências de Fábio Coentrão da Luz para o Santiago Bernabéu e de Ezequiel Garay em sentido inverso, foram "negócios autónomos" e que a compra do defesa central argentino "nada teve a ver com a venda do ex-lateral esquerdo 'encarnado' para o Real Madrid".

A controvérsia levantada sobre o negócio da venda do passe de Garay ao Benfica surgiu no contexto de afirmações atribuídas hoje pelo diário desportivo Marca ao presidente dos "merengues" Florentino Pérez, numa reunião privada com sócios do clube.

Na mesma, Pérez terá confessado que o Benfica pagou pela transferência do defesa central 12,5 milhões de euros, valor esse que é mais do dobro daquele que foi falado na altura da transferência, ou seja, 5,5 milhões de euros, apesar de nunca ter sido mencionado em qualquer comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, até esta noite.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG