Quatro jogadores do Benfica em risco para o dérbi com o Sporting

Relativamente ao departamento médico dos encarnados, Jonas está em risco de falhar o encontro com o Tondela devido a uma lombalgia, mas pode recuperar a tempo do dérbi

O Benfica recebe este sábado o Tondela, num jogo que, além de importante para os encarnados na luta pelo título, poderá ter influência na deslocação a Alvalade no dia 5 de maio. Isto devido ao risco de vários jogadores poderem falhar o jogo com o Sporting devido ao número de cartões amarelos.

Entre os jogadores que estão perto de falhar o dérbi com o Sporting estão Rúben Dias, Fejsa, Jardel e Grimaldo. Estes jogadores. se virem um cartão amarelo no jogo com o Tondela, ficam impedidos de participar no dérbi. À exceção do sérvio, que atualmente soma oito amarelos e pode ficar suspenso pela segunda vez nesta temporada, todos os outros jogadores contam com quatro amarelos.

Por outro lado, Jonas ainda se encontra a recuperar de uma lombalgia, que o obrigou a falhar os jogos com o V. Setúbal, FC Porto e Estoril, e segundo o jornal Record também corre o risco de falhar a receção ao Tondela, mas pode recuperar a tempo do duelo com o Sporting.

Os bilhetes para o Benfica-Tondela, previsto para sábado às 18h15 no Estádio da Luz, já se encontram à venda. O jogo entre o Sporting e Benfica realiza-se no dia 5 de maio, às 20h30, no Estádio José Alvalade.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.