Manuel Sérgio pede desculpas a Luisão

Manuel Sérgio reconhece que se excedeu ao dizer que o central estava acabado. Luisão vai ser o estrangeiro com mais jogos por um clube português.

Luisão vai tornar-se, muito provavelmente já neste mês, o futebolista estrangeiro com mais jogos realizados por um clube português. Atualmente, o internacional brasileiro, de 34 anos, leva 471 partidas de águia ao peito e está a apenas quatro jogos de ultrapassar o compatriota Aloísio, que se destacou ao serviço do FC Porto e que é, ainda, o recordista.

Peça fundamental no habitual onze titular do Benfica, tudo indica que Luisão possa tornar-se o futebolista com mais jogos já frente ao Sp. de Braga, em encontro referente à 11.ª jornada do campeonato, marcado para o próximo dia 30 de novembro.

Considero que não disse nada de mal sobre o Luisão. Disse que ele estava acabado, mas isso não é dizer mal de uma pessoa

Salvo alguma lesão de última hora, dificilmente o capitão das águias deixará de ser opção para o treinador Rui Vitória nos próximos embates com o Boavista (Liga), Sporting (Taça de Portugal) e Astana (Liga dos Campeões), pelo que o 475.º jogo deverá ser diante da equipa minhota.

Luisão, com 12 temporadas como jogador das águias, é já o sexto futebolista do Benfica com mais partidas oficiais realizadas até ao momento, atrás apenas de Shéu (488), Humberto Coelho (498), Coluna (525), Veloso (538) e Nené (575). Já nesta temporada, o internacional brasileiro poderá ultrapassar Shéu e Humberto Coelho, este último a 27 jogos de distância, mais dez do que o atual secretário técnico da equipa encarnada.

Uma referência também para Maxi Pereira, que trocou este ano o Benfica pelo FC Porto, que conta 333 partidas com a camisola das águias, estando no top10 (ver quadro em baixo) dos jogadores estrangeiros com mais partidas.

O nono com mais golos

Com o golo marcado ao Galatasaray (2-1) na última terça-feira, em encontro da 4.ª jornada da Liga dos Campeões, o capitão do Benfica alcançou também Simão Sabrosa e Mário Coluna no nono lugar dos futebolistas do Benfica com mais golos nas competições europeias, com um total de 12.

No que diz respeito a golos, as temporadas de 2009-2010, 2010--2011 e 2013-2014 foram as mais produtivas do central brasileiro, com um total de seis golos marcados em cada um das das respetivas épocas. A pior remonta a 2012--2013, apenas um golo.

Manuel Sérgio pede desculpas

Quando marcou o golo ao Galatasaray no jogo da Champions de terça-feira, Luisão apontou o dedo para a palavra respect (respeito) que está estampada na camisola do Benfica. Este gesto, como o próprio jogador explicou no final do jogo, surgiu no seguimento das críticas de que foi alvo após a derrota com o Sporting (0-3). Um dos que mais criticaram o capitão foi Manuel Sérgio, professor catedrático e amigo próximo de José Mourinho e Jorge Jesus.

Em declarações ao DN, Manuel Sérgio admitiu algum excesso nas palavras que dirigiu ao jogador. "Considero que não disse nada de mal sobre o Luisão. Disse que ele estava acabado, mas isso não é dizer mal de uma pessoa. Ele eticamente é uma pessoa admirável, que merece respeito, pois é um capitão exemplar. Não quis atacar a pessoa, tenho o maior respeito pelo Luisão, sempre tive, aliás. Talvez tenha exagerado, peço desculpa, pois, para mim, com o Galatasaray foi o melhor jogador em campo", revelou Manuel Sérgio, salientando depois estar disposto a pedir desculpas pessoalmente ao capitão encarnado.

"Não disse mal do Luisão enquanto pessoa, sou capaz de lhe pedir desculpa, tenho o maior respeito pelo Luisão. É muito boa pessoa, eticamente admirável", prosseguiu, reconhecendo depois não saber que Luisão tinha "ficado insatisfeito" com as suas declarações após o dérbi com o Sporting.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.