Júlio César: "Já não ia muito motivado para os treinos"

O guarda-redes chegou a acordo para rescindir contrato, mas assume que ainda pode continuar a jogar. Luiz Felipe Scolari e Francesco Toldo deixam-lhe mensagens através do DN

83 jogos e três títulos de campeão nacional depois, Júlio César deu por terminada ontem a ligação com o Benfica que era válida até julho de 2018. Mas quando se pensava que seria o ponto final de uma longa carreira aos 38 anos, até pelas várias mensagens colocadas nas redes sociais por familiares e colegas como Pizzi ou Ederson, o brasileiro garantiu à BTV que só irá retirar-se se não aparecer entretanto um clube que lhe agrade.

"Foi difícil tomar esta decisão porque estou a correr um risco. Hoje não tenho clube, mas caso apareça alguma coisa vou estudar bem as possibilidades. Caso não apareça, será um momento importante para pensar em pendurar as luvas", assumiu Júlio César, que justificou a decisão de deixar o Benfica com o facto de "já não ir muito motivado para os treinos". "Procurei sempre ajudar de alguma maneira dentro e fora do campo, mas cheguei a uma situação em que já não estava a ajudar e por isso decidi que para estar a prejudicar era melhor parar", acrescentou na mesma entrevista.

Durante a tarde, no emotivo adeus aos companheiros no balneário, no Seixal, difundido em vídeo nas redes sociais do Benfica, Júlio César revelou que "há um mês que estava a pensando nisto", tendo chegado agora o momento da decisão. "Não estava a render o que posso e, por isso, falei com Rui Vitória, uma conversa aberta, amigável e transparente", revelou, admitindo que o resultado dessa conversa abriu a porta do gabinete do presidente para o ponto final. "Agradeço a Luís Filipe Vieira por tudo. Foi sensacional comigo e chegamos a acordo em dez minutos e isso revela bem o respeito que o Benfica tem por mim", frisou.

Esta época estava a ser bastante complicada para Júlio César que apenas fez quatro jogos pelo Benfica - o último no empate na Madeira diante do Marítimo -, devido a sucessivas lesões, que aliás o acompanharam no último ano.

"Vi que não estava com muito espaço na equipa e decidi sair pela porta grande, com oito títulos e uma viagem linda da qual só levo grandes recordações", afirmou, acrescentando que "é altura de seguir novos rumos". "Ainda não pendurei as luvas, pois caso apareça algo vou estudar bem", rematou, lembrando que pretendia terminar a carreira de 21 anos "a jogar".

Scolari: "É um grande campeão"

Luiz Felipe Scolari abordou através do DN a possibilidade de Júlio César encerrar desde já a carreira, assumindo que foi "um prazer" orientar um guarda-redes "com grande qualidade". "Quero deixar-lhe o meu grande abraço por tudo o que ele representa, por tudo o que ele é como pessoa e jogador. Foi maravilhoso termos estado juntos, termos participado de jogos memoráveis", assumiu Felipão, selecionador com quem Júlio César conquistou uma Taça das Confederações pelo Brasil e com o qual se despediu da seleção canarinha após o Mundial 2014.

"Fiquei muito feliz quando ele tomou a decisão de ir para Portugal para jogar no Benfica. Se ele decidir retirar-se quero que saiba que foi um grande campeão e continua a ser uma pessoa maravilhosa", rematou o técnico de 69 anos, que deixou ainda os "parabéns" ao guarda-redes pela carreira que teve até agora.

Foi ainda antes de Júlio César assumir que ainda há a possibilidade de continuar a jogar que o DN falou com o italiano Francesco Toldo, antigo guarda-redes que em 2005 foi rendido pelo brasileiro na baliza do Inter Milão. "É um campeão, um grande amigo e uma lenda que fez o Inter voltar a ganhar a Liga dos Campeões em 2010", atirou, deixando desde logo um recado ao ex-internacional brasileiro: "Espero que um dia possa recebê-lo aqui em Milão para jogar na equipa de veteranos do Inter."

Ederson Moraes, atual guarda-redes do Manchester City, utilizou a sua conta da rede social Instagram para agradecer a Júlio César "tudo o fez" por ele. "Aqui fica um grande fã que teve o prazer de te ver brilhar muito e foi um prazer fenomenal ter atuado contigo e termos vivido grandes momentos", escreveu. Também Pizzi utilizou o mesmo meio para homenagear o guarda-redes: "Foi um prazer enorme para mim partilhar três anos e meio de muitas vitórias a teu lado! És um verdadeiro exemplo como pessoa, como parceiro e acima de tudo como profissional!" O médio do Benfica terminou com uma frase que indiciava o adeus de Júlio César ao futebol: "Sei que vais continuar a conquistar vitórias como conquistaste na tua carreira como jogador."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG