Jesus teve que ir ao banco para derrotar luxemburgueses

Depois de uma primeira parte sem brilho, Maxi Pereira, Cardozo e Nolito saíram do banco para darem uma vitória tranquila ao Benfica. Djaló e Melgarejo foram os laterais "improvisados".

O Benfica cumpriu e venceu este domingo o segundo jogo particular nesta pré-temporada, ao derrotar os luxemburgueses do Hamm Benfica - 16.ª filial do clube - por 3-0. Maxi Pereira (48'), Cardozo (68') e Nolito (85') fizeram os golos da tranquila vitória dos encarnados, depois de uma primeira parte que deixou muito a desejar.

Jorge Jesus insistiu na utilização de Melgarejo na posição de lateral esquerdo, mas a grande surpresa desta partida é que também inovou no lado direito da defesa, com a aposta em Yannick Djaló. O adversário, no entanto, não ofereceu qualquer dificuldade nem estímulo competitivo aos encarnados, que ficaram a dever a si próprios uma melhor exibição nos primeiros 45 minutos.

Javi Garcia foi o único a repetir a titularidade em relação à vitória diante do Marselha (2-0), numa gestão de plantel que foi feita a pensar no jogo frente ao Lille, já na próxima segunda-feira. Uma cabeçada de Kardec ao poste (4') e um falhanço incrível de Enzo Pérez, a fechar a primeira parte, foram os destaques da primeira metade do jogo, onde Hugo Vieira (muito apagado) se estreou e Ola John assinou alguns bons dribles.

Na segunda parte, Jorge Jesus recorreu aos "pesos pesados" do plantel para ultrapassar, finalmente, a frágil defesa luxemburguesa. Foi preciso apenas alguns minutos para Maxi Pereira, de cabeça, colocar os encarnados em vantagem, para alegria dos cerca de dois mil emigrantes que assistiram à partida, disputada em Hesperange.

Óscar Cardozo, que já tinha faturado frente ao Marselha, ampliou a vantagem aos 66 minutos, após uma assistência de Witsel - talvez o jogador em melhor formado neste início de pré-temporada, deixando bem patente a falta que fará se se confirmar a sua saída. Nolito, a poucos minutos do final, ainda foi a tempo de levar os adeptos ao delírio, ao converter com perícia um pontapé livre direto em golo, metendo a bola na "gaveta".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG