Jesus diz que "paragem não foi boa para o Benfica"

O treinador Jorge Jesus lamentou hoje o interregno motivado pelos jogos das selecções, classificando-o como negativo para a equipa de futebol do Benfica, que vinha numa "onda de vitória".

Em declarações à Benfica TV, Jesus justificou a inoportunidade desta paragem, para os jogos de apuramento para o Mundial2010: "Ficámos sem metade do plantel para treinar e nem sequer deu para recuperar alguns lesionados".

Sobre os jogos, o treinador "encarnado" disse ter seguido em directo o Uruguai-Argentina, da zona sul-americana de qualificação, e considerou que a causa do menor rendimento de Di Maria chamou-se... Maxi Pereira.

"O Di (Maria) esteve muito bem com o Peru, mas contra o Uruguai houve duas razões para que não estivesse ao mesmo nível: uma foi o Maxi (Pereira), que já o conhece bem e esteve impecável do ponto de vista defensivo, e outra foi o facto de não estar tão fresco como no primeiro jogo", explicou Jesus, referindo-se, também a Pablo Aimar, "importante com o Peru, não só pelo passe para o golo".

As actuações dos jogadores do Benfica nas respectivas selecções foram, segundo Jesus, acompanhadas "atentamente" por si, incluindo as do jovem Urreta no Mundial de sub-20, disputado no Egipto, "quer no plano individual quer colectivo, as quais contribuíram para "valorizar o plantel do Benfica e o clube enquanto instituição".

Além dos jogadores utilizados, Jesus manifestou também convicto de que "Saviola também vai estar na África do Sul", mostrando-se satisfeito com a qualificação da Argentina, que "faz falta ao Mundial".

Sobre as hipóteses do Uruguai se qualificar no confronto do "play-off" com a Costa Rica, considerou que são "elevadas" comparativamente às de Portugal, que vai ter uma "tarefa mais difícil", seja qual for o adversário que lhe calhar no sorteio.

Face a estes jogos, vai escolher o "onze" para defrontar sábado o Desportivo de Monsanto, para a Taça de Portugal, em função do menor ou maior desgaste sofrido pelos diversos internacionais ao serviço das respectivas selecções.

"O César [Peixoto], o Nuno [Gomes] e o Cardozo não fizeram um jogo, o Aimar fez apenas um, o Luisão, o Ramires, o Maxi e o Di Maria participaram em dois, o que significa que estes serão poupados contra o Monsanto", informou Jesus, considerando que os outros quatro têm "grandes hipóteses" de serem opção para o jogo da Taça de Portugal.

Aliás, lembrou que, em Paços de Ferreira foi obrigado a prescindir de Maxi, Di Maria e Aimar por causa dos compromissos das respectivas selecções e "por razões de desgaste físico", e a optar por "dar mais tempo de jogo" a outros jogadores menos rodados que "justificaram pela sua actuação e pela vitória que tomou a decisão certa".

Voltando à Taça de Portugal, manifestou a vontade e determinação em "chegar à final", meta que o "Benfica não alcança há vários anos", alertando para o "factor motivação" dos jogadores do Monsanto poder diminuir "as diferenças técnico-tácticas entre as duas equipas".

Chegou ao pormenor de dizer que conhece "alguns jogadores do Monsanto e o nível das equipas da II Divisão", revelou ter observado vários jogos do adversário de sábado e dispor de "filmagens" dos mesmos.

Mais importante que marcar cedo, acrescentou Jesus, é que o Benfica mantenha "o nível de concentração e mentalidade habituais" para poder ultrapassar o Monsanto "sem sobressaltos".

Espera um "estádio cheio" em que o Benfica se vai "sentir em casa", realçando o apoio dos adeptos benfiquistas que têm dado uma ajuda importante, sobretudo nos jogos em Leiria e no Restelo, nos quais "empurraram" a equipa para a vitória.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG