Vieira explicou que prendas são dadas à vista de todos

Presidente do Benfica foi à Comissão de Inquéritos esclarecer caso das prendas. Líder do Sporting questionado por contestar árbitros

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, prestou ontem declarações nas instalações da Liga, no Porto, no âmbito da investigação levada a cabo pela Comissão de Instrução e Inquéritos (CII) sobre o caso das prendas dos encarnados aos árbitros, delegados e observadores em todos os jogos que a equipa principal e a equipa B disputam em casa.

O líder benfiquista, acompanhado por Paulo Gonçalves, assessor jurídico da SAD encarnada, prestou esclarecimentos que lhe foram pedidos sobre este assunto durante uma hora. Ao que o DN apurou, o presidente do Benfica revelou que as ofertas são feitas em todos os jogos nacionais e internacionais, independentemente do resultado, e tratam-se apenas de lembranças de cortesia, tendo ainda acrescentado que a entrega das caixas com a camisola de Eusébio é à vista de toda a gente e destinam-se a árbitros, observadores e delegados.

Este caso foi desencadeado por Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, no programa de televisão Prolongamento, da TVI24, estando agora a ser alvo de uma investigação para apurar se existe ou não matéria para punição disciplinar aos encarnados.

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, que também enviou o caso para o Ministério Público, incumbiu à CII da Liga o apuramento das circunstâncias em que foram entregues aos árbitros o chamado "Kit Eusébio", que continha uma réplica da camisola do "Pantera Negra", bem como vouchers para o museu do Benfica e Museu da Cerveja.

O processo de instrução deste caso estará assim na reta final, devendo, depois de concluído, ser enviado, com as correspondentes conclusões, para o Conselho de Disciplina, que irá tomar uma decisão. Outro dos indicadores de que a investigação da CII está perto do final prende-se com o facto de este órgão já ter recebido todas as respostas ao inquérito realizado por e-mail a 108 árbitros, 35 observadores e 37 delegados da Liga.

Segundo a rádio TSF, as 180 respostas revelam na generalidade que o Benfica e os restantes clubes da Liga oferecem prendas, acrescentando que existe um hábito de serem feitas essas ofertas, que contemplam porta-chaves, galhardetes, cachecóis, livros, camisolas e produtos regionais, como pão, doces e vinhos.

O resultado deste questionário indica ainda que a maioria das prendas são entregues no final dos jogos, à vista de toda a gente, e que elas são de um valor irrisório, sendo recebidas por cortesia e não afetando, segundo os inquiridos, a imparcialidade a que cada um destes agentes está obrigado na realização das respetivas funções durante os jogos. Em todas as respostas não existem menções a vouchers, refeições, almoços ou jantares.

Quem também esteve na sede da Liga foi Bruno de Carvalho, acompanhado pelo treinador Jorge Jesus. Ao que o DN apurou, o presidente do Sporting foi prestar declarações sobre as afirmações em que questionou a nomeação dos árbitros para os jogos dos leões, embora possa ter também sido abordado pelo caso das prendas por ele levantado. Quanto a Jorge Jesus, foi ouvido no âmbito das palavras - "atenção, eu sei muita coisa do ano passado..." - que dirigiu ao quarto árbitro durante o jogo com o Estoril, em Alvalade.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.