Quem tem Jonas tem tudo e nem precisa de forçar muito

Vitória tranquila do Benfica sobre um Chaves que não perdia há oito jogos, com o avançado brasileiro a matar o borrego flaviense com um bis. Águias estão a um ponto do Sporting.

Mesmo sem apertar muito o ritmo, o Benfica triunfou ontem facilmente sobre o Desportivo de Chaves, comprovando a ideia de que é o candidato que entra em melhor forma em 2018. Com Jonas em destaque - nunca tinha marcado aos flavienses e em menos de 20 minutos já assinara um bis -, a equipa de Rui Vitória parece apostada em não deixar fugir a hipótese de chegar ao penta.

Sem ansiedades, apenas convencido daquilo que sabe fazer, o Benfica somou mais três pontos e está a um do Sporting e a dois do líder FC Porto, que ainda tem 45 minutos em atraso no Estoril. E sem mais em que pensar, será muito difícil roubar pontos à águia daqui para a frente, pelo menos se a equipa mantiver a mesma atitude e a presença de espírito, o mesmo jogo simples e objetivo. E se a previsível ausência de Krovinovic, que se lesionou sozinho aparentemente com alguma gravidade nos minutos finais do encontro, não vai influenciar o jogo da equipa nas próximas partidas.

O jogo começou num ritmo lento e até foi dos flavienses, que entraram em campo invictos há oito jogos, o primeiro remate: aos cinco minutos, Jorginho cabeceou sem marcação. E sem perigo. Entrando de peito aberto a procurar jogar o jogo pelo jogo, como já fizera em Alvalade, a equipa de Luís Castro cedo mostrou não ter estofo para tanto. Em poucos minutos mostrou intranquilidade nas saídas desde o seu guarda-redes e quando deu por si já Jonas deixara a sua marca, depois de mais um lance em que Jefferson foi pouco expedito a tirar a bola da zona de perigo: deixou-a ao alcance de Grimaldo, que a deu a Krovinovic para este a ceder ao seu número 10. Este, à entrada da área, desferiu um tiro que só parou no fundo da baliza.

Autêntico homem duplo em campo - com ele, parece que o Benfica tem 12 homens, tal a facilidade com que trata sozinho de duas posições (a de 9 e a de apoio) -, Jonas deu um toque artístico ao jogo num belo túnel a Djavan (16") antes de bisar, desviando para a baliza um centro rasteiro e preciso de Salvio. E vão 23 golos em 19 jogos...

Pizzi fecha marcador

Com um avanço confortável, a equipa passou a jogar com mais tranquilidade, dispondo de mais um par de ocasiões para bater um Chaves em que apenas Bressan se mostrava à altura, circulando criteriosamente a bola apenas para os seus colegas a perderem facilmente. O hat trick de Jonas esteve à vista em cima do intervalo, mas desta feita acertou no guarda-redes.

Se o Chaves pensava ainda tirar alguma coisa no encontro na segunda metade, cedo perdeu as ilusões. Pouco mais de um minuto após o recomeço e já Pizzi recebia um centro de Cervi e chutava em posição frontal, fazendo um terceiro golo com culpas para o guardião visitante. Ficava por saber se o Benfica pretendia aumentar os números: ainda dispôs de mais um par de ocasiões e não o fez. Nem era preciso, num jogo que teve sempre controlado.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".