Isaías em dificuldades financeiras quer recomeçar em Portugal

Ex-jogador do Benfica está a viver na zona de Pombal e a ajuda no restaurante do amigo Sílvio Ramos

Isaías foi uma das glórias do Benfica nos anos 90, mas tem passado por dificuldades nos últimos meses. Por isso deixou o Brasil e está de regresso a Portugal à procura de trabalho no futebol. Enquanto não arranja emprego 'o pontapé canhão' ajuda no restaurante de um amigo, em Pombal.

"Está a passar por uma situação difícil. Já se sabe como é: os jogadores de futebol têm dinheiro, mas quando deixam de ser torna-se complicado. Já não dá para viver do que ganhou, ainda por cima, naquela altura, não se ganhava tanto assim. E os amigos só aparecem quando se tem dinheiro", contou ao Jornal de Leiria, o amigo Sílvio Ramos do restaurante 'O Pote'.

Isaías faz questão de dar uma mão no dia-a-dia do restaurante: "Ele é humilde, até demais. Faz questão de ajudar no que for preciso. Está na copa, lava a loiça, descasca batatas se necessário. Os clientes ficam surpreendidos quando o veem e pedem para tirar fotografias. Ainda hoje é um rei por onde passa. A marca do pé canhão ficou."

Isaías Marques Soares chegou a Portugal em 1987, com 23 anos, para jogar no Rio Ave. A equipa de Vila do Conde desceu de divisão e ele mudou-se para o Boavista, onde esteve duas temporadas. Depois surgiu a possibilidade de ir para o Benfica, onde ficou cinco épocas, conquistou dois títulos nacionais e uma Taça de Portugal.

Seguiu-se o Coventry City, o Campomaiorense, e os brasileiros Cabofriense e Friburguense, onde terminou a carreira aos 39 anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.