Estátua de Béla Guttmann para acabar com maldição

No âmbito dos seus 110 anos, o Benfica inaugurou esta tarde, pelas 15.30, na porta 18 do seu estádio uma estátua de bronze de Béla Guttmann com dois metros. O objetivo simbólico é o de "quebrar" a "maldição" lançada pelo ex-treinador húngaro, que um dia terá dito que sem ele o clube da Luz não voltaria a ganhar uma Taça dos Campeões nem nos 100 anos seguintes.

A cerimónia da inauguração contou com a presença, entre outros, do vice-presidente do Benfica, Rui Gomes da Silva, e do secretário de Estado do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Hungria, Zsolt Németh. Hoje, em entrevista ao DN, o governante húngaro disse que espera ver "dissolvida" a maldição de Béla Guttman contra o Benfica com a inauguração desta estátua. E explicou como surgiu a ideia.

"O Benfica ganhou duas Taças dos Campeões, em 1961 e em 1962, uma contra o Barcelona e outra contra o Real Madrid. Guttman Béla era o treinador nessa altura e quis um aumento de salário. No clube disseram que isso não estava no contrato. Então ele disse, se não me dão vou-me embora, mas amaldiçoo-os: durante 100 anos o Benfica não vai voltar a ganhar a Taça dos Campeões. Passaram 50 anos desde então e o Benfica não ganhou. Foi então que o embaixador da Hungria, Norbert Konkoly, surgiu com uma solução para este problema. Falou dela ao presidente do Benfica [Luís Filipe Vieira] e ele concordou. A solução é colocar uma estátua de bronze enorme, de dois metros, no estádio do Benfica com as duas Taças dos Campeões nas mãos. E depois ele regressa. E, regressando, a maldição desaparece e, desaparecendo, veremos resultados. É esta a história", explicou Zsolt Németh, dizendo que o acontecimento é tão importante para os benfiquistas como para os húngaros.

A estátua é da autoria do escultor húngaro Szatmari Juhos Laszlo e foi feita na Hungria, tendo chegado a Portugal há semanas, no maior dos secretismos, contou ao DN o embaixador Norbert Konkoly.

Responsável pela descoberta de Eusébio, o húngaro que também passou pelo Futebol Clube do Porto treinou o Benfica entre 1959 e 1962. Morreu em 1981 aos 82 anos. Até agora a sua "maldição" perdura. Depois do que terá dito Guttman, o Benfica já foi a mais sete finais europeias e não ganhou em nenhuma (cinco da Taça dos Campeões Europeus, uma da Taça UEFA e uma, no ano passado, da Liga Europa).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?