Dúvidas sobre a idade de Renato Sanches valem processo

Carlos Severino levantou dúvidas sobre se o médio do Benfica terá 18 anos. Renato Sanches e Jorge Mendes vão processá-lo

Renato Sanches prepara-se para processar o ex-candidato à presidência do Sporting Carlos Severino, por alegadamente ter levantado dúvidas num programa de televisão sobre a idade do médio, de 18 anos, que se estreou como titular do Benfica no jogo da passada quarta-feira com o Astana, no Cazaquistão, na Liga dos Campeões.

Ao que o DN apurou, o representante do jogador desde os iniciados, o empresário Jorge Mendes, deu ordens a um dos seus advogados para avançar com um processo-crime em tribunal, por difamação, assim que tomou conhecimento das declarações de Carlos Severino à CMTV. O ex-candidato às últimas eleições do Sporting considerou nesse programa que "Renato Sanches é um excelente jogador, mas está muito vitaminado para a idade", acrescentando que "para os 18 anos que dizem que tem apresenta-se com uma boa musculatura".

O comentador reconheceu no programa saber que o médio nasceu em agosto de 1997, em Lisboa, tendo acrescentado: "Não sei se há truque, mas eu pus uma foto do Renato Sanches à frente do meu filho, que tem 12 anos, e ele disse-me que tem para aí uns 28 ou 30 anos."

Ao DN, Carlos Severino disse não estar preocupado com o processo de que poderá ser alvo por parte do empresário do jogador. "Nunca pus em causa que o Renato Sanches tivesse 18 anos, apenas disse que está muito desenvolvido para a idade", adiantou o comentador televisivo, recordando que apenas disse que o jogador do Benfica "deve ter tomado muitas vitaminas" e "que o achava fisicamente muito desenvolvido para idade"

Saiba mais pormenores na edição impressa ou e-paper do DN.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.