Danny atira Benfica para fora da Liga dos Campeões

Pela quarta vez em cinco épocas, o Benfica de Jorge Jesus não consegue chegar aos "oitavos". Danny fez o golo do triunfo Zenit (79') e as águias dependem de terceiros para ir à Liga Europa.

Terminou o sonho milionário. O Benfica está fora da Liga dos Campeões, à 5.ª jornada do Grupo C, após ter perdido por 1-0 em São Petersburgo, frente ao Zenit. Pela quarta vez em cinco épocas de Champions com Jorge Jesus no comando técnico, o clube da Luz não passa da fase de grupos e desta vez até a "almofada" da Liga Europa está em risco - "basta" que o AS Mónaco ganhe ao Bayer Leverkusen, ainda nesta terça-feira, para o Benfica desaparecer do mapa europeu.

O Benfica continua sem "estofo" de Champions nos jogos disputados fora de casa na era Jorge Jesus - em 17 partidas, apenas três vitórias, nos redutos de Otelul (2011), Basileia (2011) e Anderlecht (2013), clubes distantes da "nata" do futebol europeu. Mas a vitória esteve perfeitamente ao alcance do Benfica em São Petersburgo, tendo em conta o período de domínio vivido pelas águias em grande parte do segundo tempo.

Mas apesar de algum caudal ofensivo, com Nico Gaitán e Salvio em particular evidência, só por uma vez o guarda-redes do Zenit foi chamado a intervir: aos 38 minutos, a remate de Salvio. Foi a única defesa de Lodygin em todo o jogo, apesar de Luisão ter tido o golo nos pés (49') e de ninguém ter aproveitado a oferta de bandeja de Gaitán (60'). O Zenit dependia quase sempre de Hulk para atacar, mas André Almeida "secou" o brasileiro grande parte da partida.

Júlio César, é certo, também só fez uma defesa, num jogo que terminou com 50%-50% em posse de bola e 37-35 em ataques. Mas bastou Hulk ter algum espaço para o Zenit chegar ao triunfo: aos 79', o brasileiro cruzou para a grande área, onde o internacional português Danny apareceu para desviar para o fundo das redes. A equipa de André Villas-Boas reentra nas contas pelo apuramento, dependendo de si própria para ir aos "oitavos".

O Benfica ainda acabou reduzido a dez unidades, por expulsão de Luisão (90+2'), e Samaris também ficou suspenso para a última jornada. Resta saber se o jogo diante do Bayer Leverkusen ainda contará para a permanência na Europa, mas se as águias não vencerem cumprirão a pior época de sempre numa fase de grupos da Liga dos Campeões - a pontuação mínima está traçada em 2010/11 (seis pontos), precisamente na época de estreia de Jorge Jesus na Champions.

Filme do jogo:

90+4' Final do jogo! O Benfica está fora da Liga dos Campeões. Se o AS Mónaco ganhar em Leverkusen, as águias também irão falhar a Liga Europa. O cenário ideal passar por esperar que o Bayer Leverkusen ganhe ao AS Mónaco; depois, na última jornada, as águias terão que vencer os alemães e esperar que o Zenit não perca com o Mónaco.

90+2' Luisão é expulso! O central do Benfica vê o segundo cartão amarelo, após entrada sobre Shatov, e também não vai defrontar o Bayer Leverkusen.

90' Três minutos de compensação...

90' Hulk fica a pedir penálti na grande área benfiquista. O árbitro manda jogar.

88' Hulk tenta o remate e ganha um pontapé de canto. Zenit procura aguentar no meio-campo adversário.

85' Benfica procura bombear a bola para a área, jogando praticamente em 4x2x4, com Gaitán no apoio aos dois ponta-de-lança.

83' Se perder este jogo, o Benfica dependerá de terceiros para chegar à Liga Europa - se o AS Mónaco ganhar em Leverkusen, ficará fora das competições europeias.

81' Substituição no Benfica. Saiu Samaris e entrou Ola Jonh. Enzo Pérez e Gaitán ficam a segurar o meio-campo.

79' GOLO DO ZENIT! DANNY FAZ O 1-0! Hulk foi ao flanco direito cruzar para a grande área, onde Danny apareceu para finalizar com um remate de primeira. Com este resultado, o Benfica será eliminado já hoje na Champions.

78' Derley tentava o remate acrobático, mas acertou num adversário.

76' Pontapé livre de Hulk, sem perigo.

74' Choque violentíssimo entre Lodygin e Salvio, com aparato mas sem lesões.

73' Zenit "cresce" no jogo, agora em superioridade no meio-campo. O Benfica "perde" o terceiro médio, na tentativa de chegar ao golo.

72' Duas falhas do Benfica na saída de bola, que o Zenit não consegue aproveitar.

71' Júlio César antecipa-se a Neto, após cruzamento de Hulk.

71' Hulk tenta o remate, mas a bola bate em Jardel e sai para canto.

70' Substituição no Benfica. Saiu Talisca e entrou Lima. Jesus arrisca com dois avançados.

69' Júlio César agarra à segunda, após canto de Danny.

67' Derley será a primeira aposta de Jorge Jesus a partir do banco.

66' Enzo Pérez vai permanecer, para já, em campo.

65' Substituição no Zenit. Saiu Ryazantsev e entrou Shatov. Villas-Boas esgota as alterações antes de Jorge Jesus fazer a primeira.

63' Que perdida do Zenit! Em vantagem numérica, o Zenit conduziu o contra-ataque, por Danny, e o médio-ofensivo tentou servir Hulk, que não conseguiu dominar bem na grande área, já "na cara" de Júlio César. Ação decisiva de André Almeida no corte.

62' Agora é Enzo Pérez quem vai ao chão. O médio argentino sai e teme-se uma lesão muscular.

60' Benfica quase marcava! Gaitán ganhou a bola na linha de fundo, entrou na grande área e fez o passe para "a boca" da baliza, mas Talisca e Lima não estavam em zona de finalização.

59' André Almeida não concede um centímetro de espaço a Hulk e está a conseguir anular a principal ameaça - senão a única - do Zenit.

58' Substituição no Zenit. Saiu Javi García e entrou Fayzulin..

57' Zenit continua a jogar com dez.

56' Zenit ainda não se aproximou da baliza de Júlio César na segunda parte. Os russos parecem depender do que sair dos pés de Hulk.

53' Não dá mais para Javi García. O trinco espanhol sofre uma lesão muscular e vai ter que sair.

52' Benfica bem melhor nesta fase. Os encarnados já ultrapassaram o Zenit em ataques (18-21), numa estatística que chegou a estar 10-3.

50' Cabeceamento de Jardel, após insistência de Gaitán, a sair ao lado do alvo. Bom momento do Benfica.

49' Que perdida de Luisão! O central brasileiro ficou com a bola "na cara" do guarda-redes, sem marcação na grande área, mas errou redondamente o alvo, quando tinha tudo para faturar.

47' Remate de Gaitán, o segundo do Benfica na partida, mas desenquadrado com a baliza.

46' Início da segunda parte! Bola para o Benfica.

45+3' Intervalo em São Petersburgo, com 0-0 no marcador e sem grandes ameaças ao nulo.

45+2' Hulk desequilibra em lance individual, mas Danny atirou contra Luisão.

45' Três minutos de compensação...

45' Rizzolli repreende Anyukov, num lance também passível de amostragem de cartão.

44' Cartão amarelo para Criscito, por entrada dura sobre Salvio. Esta não deixou dúvidas.

42' O Zenit entrou bem, mas na verdade só criou perigo através de um livre de Hulk. Jogo, até ver, bem ao alcance do Benfica.

40' Zenit só tem duas formas de jogar: pontapé para a frente, para Rondón, ou passe para Hulk, à espera que o brasileiro resolva sozinho no flanco. Muito pouco.

38' Lodygin evita o golo! No primeiro remate do Benfica, Gaitán, com um grande cruzamento, serviu Salvio, mas o remate cruzado do argentino foi travado pelo guardião.

37' Cartão amarelo para Hulk, por travar Enzo Pérez. Se Rizzolli continuar assim, dificilmente acabará 11 contra 11.

36' Cartão amarelo para Luisão. O Benfica fica com os dois centrais e o médio defensivo "amarelados".

35' Perda de bola de Javi Garcia, que Lima não conseguiu aproveitar. Não está na melhor forma, o avançado.

33' Salvio cruza com perigo, após investida de Talisca, mas Lima não conseguiu aparecer para o desvio.

32' Salvio escapa ao cartão amarelo, ao tentar desviar a bola para a baliza com o braço direito.

30' Cartão amarelo para Neto, por travar Talisca.

28' Nove ataques para o Zenit, apenas três para o Benfica. Os russos remataram quatro vezes, os encarnados nenhuma.

26' Samaris perde a bola à saída da sua grande área, mas Jardel impediu o remate de Rondón.

24' Hulk tenta um passe de letra e atira a bola para fora. Villas-Boas não gostou.

23' Substituição no Zenit. Saiu Lombaerts e entrou Luís Neto.

22' Lombaerts cai no relvado e pede substituição, por aparente lesão muscular. Vai entrar Luís Neto, a frio.

21' Cartão amarelo para Samaris, que vai falhar a receção ao Bayer Leverkusen, por uma falta cometida em meio-campo adversário.

20' Posse de bola repartida: 50% para cada equipa.

17' Witsel choca com Samaris e fica estendido no relvado. Jogo interrompido para a entrada da equipa médica.

16' Corte providencial de Maxi Pereira, na sequência de um canto de Hulk.

14' Gaitán ganha o primeiro pontapé de canto do jogo.

13' Benfica ainda sem se aproximar da grande área adversária, apesar de estar a jogar com a linha defensiva subida.

11' Cartão amarelo para Jardel, por derrubar Rondón numa má abordagem defensiva.

9' Zenit dominador nos minutos iniciais e a assumir o jogo. O Benfica terá espaço para o contra-ataque.

8' Perda de bola de Jardel, que permitiu que Hulk corresse para a baliza, mas o central foi a tempo de conseguir o corte, após o extremo ter demorado demasiado tempo a rematar.

6' Júlio César salva! Na sequência de um livre de Hulk, que o guarda-redes não conseguiu segurar, deu-se uma grande confusão na grande área, com constantes tentativas de remate do Zenit até Júlio César encaixar de vez.

5' Samaris recorre à falta para travar Hulk, que joga pelo flanco direito, o seu favorito para as diagonais.

4' Dois graus negativos em São Petersburgo. Muito frio, mas não há neve.

2' Em 2012, o Benfica perdeu por 3-2 em São Petersburgo. Desse jogo sobram Luisão, Maxi Pereira e Gaitán. O uruguaio fez um golo.

1' O italiano Nicola RIzzolli apita para o início do jogo! Bola para o Zenit.

ZENIT: Lodygin; Anyukov, Garay, Lombaerts, Criscito; Ryazantsev, Javi García, Axel Witsel; Danny, Hulk e Salomon Rondón. Suplentes: Malafeev, Luís Neto, Smolnikov, Shatov, Fayzulin, Tymoshchuk e Arshavin.

BENFICA: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, André Almeida; Samaris, Enzo Pérez; Salvio, Talisca, Nico Gaitán; Lima. Suplentes: Artur, César, Benito, Cristante, Ola John, Pizzi e Derley.

O Benfica tem nesta quarta-feira (17.00) um encontro decisivo para se manter na luta pelo apuramento para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões, estando "obrigado" a conquistar pontos na visita aos russos do Zenit.

Atualmente no último lugar do grupo C, em igualdade pontual com o Zenit, os encarnados estão proibidos de perder frente à equipa de André Villas-Boas, pois ficariam fora da Liga dos Campeões e quiçá afastados das competições europeias, em caso de vitória do AS Mónaco em Leverkusen.

Face à lesão de Eliseu, a difícil tarefa de travar Hulk caberá a André Almeida. Samaris será titular no meio-campo benfiquista, enquanto Lima recupera o lugar no ataque. Do lado do Zenit, Danny é titular, enquanto Luís Neto fica no banco.

Na melhor série de resultados da temporada - a goleada imposta ao Moreirense (4-1), na Taça de Portugal, foi o quarto triunfo consecutivo -, o Benfica tenta ser a primeira equipa a vencer no estádio Petrovski na Champions.

Em seis encontros em São Petersburgo, as equipas portuguesas perderam quatro vezes e apenas Nacional e FC Porto conseguiram pontuar. Os encarnados perderam na única visita ao Zenit (3-2), em 2012, embora tivessem passado à ronda seguinte da Liga Europa.

Na Rússia, o treinador Jorge Jesus já conta com Maxi Pereira e Lima, que falharam a partida com o Moreirense.

Uma vitória sobre o Benfica garante ao Zenit, de Danny e Luís Neto, pelo menos o acesso à Liga Europa, ficando por decidir na próxima ronda, com o AS Mónaco, o apuramento para os oitavos-de-final.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Bernardo Pires de Lima

Os europeus ao espelho

O novo equilíbrio no Congresso despertou em Trump reações acossadas, com a imprensa e a investigação ao conluio com o Kremlin como alvos prioritários. Na Europa, houve quem validasse a mesma prática. Do lado democrata, o oxigénio eleitoral obriga agora o partido a encontrar soluções à altura do desafio em 2020, evitando a demagogia da sua ala esquerda. Mais uma vez, na Europa, há quem esteja a seguir a receita com atenção.

Premium

Rogério Casanova

O fantasma na linha de produção

Tal como o desejo erótico, o medo é uma daquelas emoções universais que se fragmenta em inúmeras idiossincrasias no ponto de chegada. Além de ser contextual, depende também muito da maneira como um elemento exterior interage com o nosso repositório pessoal de fobias e atavismos. Isto, pelo menos, em teoria. Na prática (a prática, para este efeito, é definida pelo somatório de explorações ficcionais do "medo" no pequeno e no grande ecrã), a coisa mais assustadora do mundo é aparentemente uma figura feminina magra, de cabelos compridos e desgrenhados, a cambalear aos solavancos na direcção da câmara. Pode parecer redutor, mas as provas acumuladas não enganam: desde que foi popularizada pelo filme Ring em 1998, esta aparição específica marca o ponto em filmes e séries ocidentais com tamanha regularidade que já se tornou uma presença familiar, tão reconfortante como um peluche de infância. É possível que seja a exportação japonesa mais bem-sucedida desde o Toyota Corolla e o circuito integrado.

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Adeus, futuro. O fim da intimidade

Pelo facto de dormir no quarto da minha irmã (quase cinco anos mais velha do que eu), tiveram de explicar-me muito cedo por que diabo não a levavam ao hospital (nem sequer ao médico) quando ela gania de tempos a tempos com dores de barriga. Efectivamente, devia ser muito miúda quando a minha mãe me ensinou, entre outras coisas, aquela palavra comprida e feia - "menstruação" - que separava uma simples miúda de uma "mulherzinha" (e nada podia ser mais assustador). Mas tão depressa ma fez ouvir com todas as sílabas como me ordenou que a calasse, porque dizia respeito a um assunto íntimo que não era suposto entrar em conversas, muito menos se fossem com rapazes. (E até me lembro de ter levado uma sapatada na semana seguinte por estar a dizer ao meu irmão para que servia uma embalagem de Modess que ele vira no armário da casa de banho.)