Benfica recupera o "trono" com a sexta Taça da Liga

Benfica passa a ser o clube português com mais troféus, recuperando a liderança perdida para o FC Porto. Ola John resolveu contra 10 e Jorge Jesus passa a ser o técnico com mais taças na Luz.

O Benfica conquistou a Taça da Liga pela sexta vez, ao vencer o Marítimo, por 2-1, em Coimbra, na final da oitava edição da prova. As águias "fecham" a temporada da melhor forma, ao recuperarem o estatuto de clube português com mais troféus oficiais no futebol profissional: 75, resgatando a liderança que tinha sido perdida para o FC Porto em 2010/11.

Para Jorge Jesus, cujo futuro continua a ser uma incógnita, este foi o 10.º troféu ao serviço do Benfica, a quinta Taça da Liga. Jesus passa a ser o técnico que mais títulos conquistou ao serviço das águias, superando o brasileiro Otto Glória (três campeonatos e seis Taças de Portugal) na época em que se tornou o único bicampeão português na Luz.

O Marítimo, carrasco do FC Porto nas meias-finais, continua sem conseguir oferecer companhia ao Campeonato de Portugal conquistado em 1926. Os insulares chegaram a "assustar" o Benfica e ameaçar levar o jogo para o desempate por penáltis, mas as águias souberam capitalizar a superioridade numérica obtida desde o minuto 47, por expulsão de Raúl Silva.

Antes, Jonas, aos 37 minutos, correspondeu da melhor forma a um cruzamento de Jardel e fez o 31.º golo da época, o quinto na Taça da Liga - foi o melhor marcador. Nunca um estrangeiro tinha feito tantos golos na época de estreia pelo Benfica. Mas o Marítimo, mesmo reduzido a dez, conseguiu chegar ao empate, aos 56', graças a João Diogo, após passe de Fransérgio.

O Benfica "fartou-se" de desperdiçar ocasiões para voltar a faturar, mas Ola John saiu do banco para mostrar o caminho para a conquista do troféu, aos 80', num lance com intervenção de Jonas. O Marítimo ameaçou até ao último suspiro, mas não evitou que o Benfica conquistasse a sexta prova nacional consecutiva.

Filme do jogo:

90+5' Final do jogo! O Benfica é o vencedor da 8.ª edição da Taça da Liga.

90+4' Igor Rossi falha! O defesa teve o empate nos pés, mas atirou ao lado do alvo, na sequência de um livre.

90+3' Cartão amarelo para Luisão, por "matar" um contra-ataque.

90+3' Mais uma defesa de Salin, após remate de Gaitán, bem assistido por Ola John..

90' Quatro minutos de compensação...

90' Igor Rossi tenta desviar de cabeça, mas atira muito ao lado do alvo.

89' Júlio César volta a hesitar na saída, mas à segunda agarra a bola. O Marítimo aposta no "chuveirinho".

88' Danilo Pereira remata de longe, muito mal.

86' Cartão amarelo para Jonas, por conduta antidesportiva.

85' Cartão amarelo para Éber Bessa e Maxi Pereira, após alguma "confusão".

83' Substituição no Benfica. Saiu Lima e entrou Fejsa.

82' Ola John pode estar a fazer o seu último jogo pelo Benfica, pois tem em mãos uma proposta do Swansea - o empresário dá a transferência como iminente. Para já, está perto da despedida perfeita.

81' Cartão amarelo para Ola John, por tirar a camisola nos festejos.

80' GOLO DO BENFICA! OLA JOHN FAZ O 2-1! Após trabalho de Jonas, o holandês aproveitou um ressalto na grande área para fuzilar a baliza do Marítimo.

78' Lima, de cabeça, atira por cima do alvo.

77' Cartão amarelo para Fransérgio, o sexto jogador admoestado - todos do Marítimo.

76' Mais um falhanço do Benfica. Maxi Pereira, ao segundo poste, não aproveita o excelente cruzamento de Ola John. Jorge Jesus desespera perante tantas oportunidades desperdiçadas.

75' Substituição no Marítimo. Saiu Marega e entrou Igor Rossi.

73' Substituição no Benfica. Saiu Sulejmani e entrou Ola John.

72' Jonas desperdiça! Cruzamento milimétrico de Eliseu, ao qual o brasileiro não consegue corresponder ao segundo poste, já com Salin fora do lance.

71' Fransérgio não consegue repetir a assistência para João Diogo.

70' Que perdida de Jonas! O brasileiro ganhou o ressalto e ficou com a baliza à sua mercê, mas atirou por cima do alvo. Lima, sozinho, pedia a bola ao segundo poste.

69' Substituição no Benfica. Saiu Pizzi e entrou Talisca.

68' Nico Gaitán "pica" a bola, na marcação do livre, e atira um pouco ao lado do alvo.

67' Cartão amarelo para Rúben Ferreira, que derruba Jonas à entrada da grande área. Mais um livre perigoso a favorecer o Benfica.

65' Jorge Jesus prepara a entrada de Talisca.

64' Remate em esforço de Maxi Pereira, por cima do alvo.

62' Substituição no Marítimo. Saiu Xavier e entrou Éber Bessa.

61' Remate perigosíssimo de Rúben Ferreira, a passar perto o alvo.

59' Cartão amarelo para Bruno Gallo, o quarto para o Marítimo. Falta sobre Samaris.

58' João Diogo interrompeu a série de 10 jogos consecutivoss em que o Benfica sofresse golos na Taça da Liga. Saleiro, há duas épocas, pela Académica, tinha sido o último a marcar às águias.

56' GOLO DO MARÍTIMO! JOÃO DIOGO FAZ O 1-1! Os insulares reagem à expulsão com o golo do empate: excelente passe de Fransérgio e boa desmarcação de João Diogo, que evitou Júlio César e encostou para o 1-1.

54' O Benfica "alarga" os corredores, procurando abrir mais espaços no meio-campo do Marítimo após a expulsão de Raúl Silva.

52' Incrível defesa de Salin! Lima volta a desperdiçar uma excelente oportunidade, mas desta vez todo o mérito vai para o guarda-redes francês. Maxi Pereira foi à recarga, mas não conseguiu finalizar.

51' Substituição no Marítimo. Saiu Alex Soares e entrou Fransério. Ivo Vieira mexe no meio-campo e Danilo Pereira recua para central, posição que chegou a fazer no Benfica.

50' Raúl Silva foi expulso pela terceira vez nesta temporada. Só chegou ao Marítimo em janeiro.

49' Pontapé livre de Lima, muito por cima do alvo.

48' Reduzido a 10, o Marítimo enfrenta uma missão quase impossível na procura pela reviravolta.

47' Raúl Silva é expulso! O central brasileiro volta a deixar a pior das impressões com a camisola do Marítimo, ao ver o segundo cartão amarelo, por puxar um adversário.

47' Defesa de Salin, a remate de longe de Lima.

46' Júlio César salva! O guarda-redes defendeu o remate de Xavier, que poderia ter assistido João Diogo ao segundo poste, mas optou pelo remate e desperdiçou uma excelente ocasião para empatar.

46' Início da segunda parte! Bola para o Marítimo.

45' Intervalo em Coimbra. O Benfica vence por 1-0 ao intervalo, golo de Jonas, aos 37 minutos.

44' Xavier e Marega não se entendem e o Marítimo perde uma boa possibilidade para atacar a baliza encarnada.

43' Júlio César hesita e arrisca, perante a pressão de Xavier, mas consegue tirar a bola da grande área.

42' Faz-se a "onda" nas bancadas. O golo de Jonas animou, obviamente, os adeptos benfiquistas.

41' Recorde-se que na Taça da Liga não há prolongamento. Se o Marítimo chegar ao empate, seguir-se-ão grandes penalidades.

39' Corte decisivo de Eliseu, evitando que Marega pudesse encostar para o 1-1, após centro de Xavier.

38' Jonas fez o 31.º golo da época, o 5.º na Taça da Liga. Passa a ser o melhor marcador da competição, superando Evandro (FC Porto), Clemente (Santa Clara) e Mendy (União da Madeira).

37' GOLO DO BENFICA! JONAS FAZ O 1-0! Jardel, no papel de assistente, cruza para a cabeça de Jonas, que finalizou sem oposição e abriu o marcador da final. Golo com dedicatória para o lesionado Salvio.

36' Cartão amarelo para Marega, por pontapear a bola quando jogo estava parado. Três cartões para o Marítimo em quatro minutos.

35' Rúben Ferreira cruza, Marega hesita e o remate não apareceu.

35' Danilo Pereira tentava o remate, mas não acertou na bola.

34' Boa postura do Marítimo, que já tinha feito uma primeira parte de grande qualidade na Luz, na 34.ª e última jornada da I Liga.

32' Cartão amarelo para Briguel, por indicação de um dos auxiliares de Carlos Xistra. O árbitro aplicou duas admoestações no mesmo lance, com o jogo parado.

32' Cartão amarelo para Raúl Silva, o primeiro da partida.

31' Marega procurava espaço para rematar, mas Jardel resolveu o problema.

29' Marega, em velocidade, remata com pouco ângulo para o fazer e ganha canto, após corte de Samaris.

28' Corte decisivo de Raúl Silva, após bom cruzamento de Eliseu.

26' Jonas tem sido o "jogador mais" do Benfica, abrindo diversas vezes linhas de passe e oferecendo qualidade e precisão à construção das águias. Sulejmani, por sua vez, está "apagado".

24' O Marítimo procura manter a linha de pressão à entrada do meio-campo do Benfica, de modo a recuperar a bola e sair rapidamente para o contra-ataque.

23' Marítimo ganha o terceiro canto e vai ameaçando a baliza benfiquista nas bolas paradas.

22' Raúl Silva repreendido por Carlos Xistra, após várias entradas duras sobre os atacantes do Benfica.

21' Nico Gaitán cruza duas vezes, mas a defesa do Marítimo tira a bola da zona de perigo.

20' Lima soma nove golos no seu historial na Taça da Liga. Melhor só Liedson (11) e Tozé Marreco (12).

19' Que perdida de Lima! Após uma falha defensiva do Marítimo, o avançado brasileiro ficou completamente isolado, mas perante a saída de Salin atirou ao lado do alvo.

18' Remate potente de Jonas, de livre, para Salin encaixar.

17' Benfica com um livre em posição privilegiada. Jonas e Gaitán estudam a marcação...

15' Briguel cabeceia mal, após um canto. O lateral faz o seu 305.º jogo pelos insulares, o recorde na história do clube. Sobrinho do presidente do Marítimo, o defesa de 36 anos fez toda a carreira nos Barreiros.

14' Canto perigoso de Xavier, mas ninguém consegue o desvio e Eliseu cede nova bola parada. Bom momento do Marítimo.

12' O Marítimo, curiosamente, bateu o Benfica nas duas últimas eliminatórias em que se cruzaram - na Taça de Portugal, em 2000/01 e 2011/12.

10' Remate cruzado de Xavier, a passar um pouco ao lado do alvo.

9' Alex Soares é empurrado perto da grande área, mas Carlos Xistra não assinalou a devida falta de Pizzi.

8' Jonas desmarca Lima, mas Raúl Silva consegue a "dobra" e evita o remate do avançado, à entrada da grande área.

7' Bruno Gallo remata muito mal, após contra-ataque do Marítimo.

6' Primeiro remate da partida, por Gaitán, uma trivela desenquadrada com o alvo.

5' Nico Gaitán entra na grande área, mas a defesa do Marítimo travou o cruzamento do criativo argentino.

4' Salin, rápido na saída, impede que Sulejmani, isolado, chegue à bola, após passe de Maxi Pereira.

3' O benfiquista Jardel joga pela 27.ª vez na Taça da Liga, entrando no "top 10" de atletas com mais jogos. A lista é lidera por João Pedro, com 34, jogador que pertence ao Sp. Braga.

2' Pela primeira vez, a final da Taça da Liga tem (praticamente) "casa cheia", com cerca de 30 mil adeptos nas bancadas, dos quais três mil do Marítimo. Benfiquistas em maioria.

1' Carlos Xista apita para o início do jogo! Bola para o Benfica.

BENFICA: Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris, Pizzi, Nico Gaitán, Sulejmani; Jonas e Lima. Suplentes: Paulo Lopes, Sílvio, Lisandro López, Fejsa, Talisca, Ola John e Derley,

MARÍTIMO: Salin; Briguel, Raúl Silva, Bauer, Rúben Ferreira; Danilo Pereira, Alex Soares, Bruno Gallo; João Diogo, Xavier e Marega. Suplentes: Wellington, Igor Rossi, Fransérgio, Cristian, Ebinho, Éder Bessa e Fábio Abreu.

Benfica e Marítimo disputam nesta sexta-feira (19.45), em Coimbra, a final da 8.ª edição da Taça da Liga, marcada pelo facto de os clubes terem renunciado aos prémios de participação/prestação a que teriam direito, de modo a salvar a crise na Liga de Clubes.

O Marítimo, vencedor invicto de um grupo que tinha Sp. Covilhã, Estoril e Gil Vicente e "carrasco" do FC Porto nas meias-finais, pode celebrar a c onquista de um troféu pela primeira vez desde 1926. A única vez que os insulares ganharam um título nacional foi no Campeonato de Portugal, prova que antecedeu a Taça de Portugal e que era disputada pelos campeões distritais. Na altura, o Marítimo bateu o Belenenses na final, por 2-0, após ter "dado" 7-1 ao FC Porto nas meias-finais.

O Benfica, por sua vez, venceu cinco das sete edições da Taça da Liga (Vit. Setúbal e Sp. Braga foram os outros vencedores) e procura encerrar a época com o terceiro troféu de 2014/15, após a Supertaça Cândido de Oliveira e a conquista da I Liga, o primeiro bicampeonato desde 1984. Mas a Taça da Liga pode, também, marcar o regresso das águias ao estatuto de clube português com mais troféus no futebol, liderança perdida para o FC Porto durante a era Villas-Boas.

O Benfica, com a conquista do "bi", passou a somar 74 troféus, repartidos por campeonato (34), Taça de Portugal (25), Supertaça (5), Taça da Liga (5), Taça dos Campeões Europeus (2) e Campeonato de Portugal (3).

O FC Porto, por sua vez, conta no seu palmarés com 27 campeonatos, 16 Taças de Portugal, 4 Campeonatos de Portugal, 20 Supertaças, 2 Taças UEFA/Ligas Europa, 2 Liga dos Campeões, uma Supertaça Europeia e 2 Taças Intercontinentais.

Embora, por vezes, haja alguma discordância entre os rivais na contabilização dos títulos, estas são as contas oficiais para a FIFA e a UEFA. O Benfica, por exemplo, reivindica a conquista da Taça Latina, troféu que não é reconhecido pelos organismos que tutelam o futebol internacional, enquanto a Taça Intercontinental, troféu muitas vezes contestado pelas águias, é reconhecida por FIFA e UEFA.

Para Jorge Jesus, este pode ser o seu 10.º troféu em seis anos de Benfica, cinco dos quais Taças da Liga, e também o último jogo ao serviço das águias - o seu futuro depende das propostas que Jorge Mendes tenha para oferecer ao treinador português, disposto a experimentar pela primeira vez uma Liga estrangeira, embora a ausência de convites de "colossos" possa encaminhá-lo para a permanência na Luz. O técnico continua sem se pronunciar sobre o futuro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?