Benfica quer Rafa e negoceia Carrillo com o Manchester United

Águias oferecem 15 milhões de euros mais jogadores ao Sp. Braga para garantir o internacional português. O peruano Carrilo pode ser negociado sem vestir a camisola.

O Benfica está a negociar André Carrillo com o Manchester United e quer Rafa do Sp. Braga para o lugar de Nico Gaitán, que disse adeus à Luz, com a conquista da Taça da Liga, para se mudar para o Atlético de Madrid.

Segundo apurou o DN, o clube da Luz oferece 15 milhões de euros pelo passe do internacional português que hoje joga a final da Taça de Portugal (páginas 50 e 51) e mais um ou dois jogadores por empréstimo ou em definitivo. Derley e Marçal são fortes possibilidades, mas pode até ser que Diego Jota do Paços de Ferreira, que assinou pelos colchoneros e deve chegar à Luz envolvido no negócio de Gaitán, vá parar a Braga.

O valor oferecido por Luís Filipe Vieira por Rafa é superior à proposta do FC Porto, que fez uma primeira oferta de 12 milhões de euros (mais alguns dragões por empréstimo), ainda antes de a Liga terminar, e terão subido para 16 milhões durante a noite de ontem. A primeira oferta foi recusada por António Salvador, que, a jogar na antecipação da convocatória da seleção nacional, pediu 20 milhões de euros, o valor da cláusula de rescisão de Rafa.

Há, porém, nesta altura, um problema de difícil resolução para que Rafa possa assinar pelo Benfica ou outro clube. O passe é partilhado por Jorge Mendes e Sp. Braga, estando nesta altura o presidente do clube minhoto a tentar comprar a sua totalidade, dividido entre o empresário Jorge Mendes, o agente do médio e o Feirense, para depois negociar com os interessados.

Mas o empresário da Gestifute, que comprou 40% do passe do jogador ao Sp. Braga em 2014, não está interessado em negociar a metade dos direitos económicos.

Rafa chegou a Braga no início de 2013--14, vindo do Feirense a troco de 150 mil euros. Tinha completado a formação (feita no Povoense e no Alverca) e tornara-se profissional. O brilho que exibiu na II Liga logo o catapultou para a Liga. Lançado na equipa principal por Jesualdo Ferreira, Rafa Silva logo chegou à seleção nacional com Paulo Bento em 2014. E nesta semana viu Fernando Santos convocá-lo para o Euro 2016, um anúncio que fez o valor do passe disparar.

Acordo por Ricardo Ferreira

Mas há mais jogadores do Sp. Braga na mira do Benfica. Ricardo Ferreira, central de 23 anos, já tem acordo para se mudar para a Luz, ele que foi um dos grandes destaques da equipa bracarense nesta temporada e era cobiçado por outros emblemas, um deles o FC Porto, onde se formou.

Os encarnados terão ganho a corrida e por valores a rondar os cinco milhões de euros, ficando assim assegurada a saída de Jardel (vai para a Lázio, tal como o DN já noticiou). O jogador foi ontem de férias para o Brasil, deixando o futuro entregue ao empresário e a Vieira. "Agora quero estar com a família e descansar. Se regresso ao Benfica? Não sei, quem vai decidir isso é o meu empresário e o presidente", disse o central, antes de viajar. Também de saída podem estar Jonas e Talisca. Os dois brasileiros têm ofertas da China.

Carrillo para o Manchester

A um mês de terminar o contrato com o Sporting (mas já com contrato assinado com o Benfica), André Carrillo foi de férias. O peruano foi autorizado a terminar a época e não terá, para já, de voltar a apresentar-se na Academia do Sporting para treinar e cumprir horário, soube o DN.

O jogador espera pelo dia 30 de junho para dizer adeus a Alvalade e ser apresentado no Benfica (já assinou até 2021).Mas a estada na Luz pode ser curta, já que o destino do extremo será Inglaterra. Segundo soube o DN, Carrillo está a ser negociado com o Manchester United. Depois de ser dado como a caminho do At. Madrid juntamente com Gaitán, o extremo pode vir a ser treinado por José Mourinho.

Carrillo só ficará no Benfica se precisar de ser comunitário para assinar pelo United, pois, nesse caso, precisa de cumprir mais uma época em Portugal para completar os seis necessários para ser português e comunitário, ele que chegou a Alvalade em 2011.