Benfica B vence Académico em Viseu com muita polémica

O Benfica B terminou com a invencibilidade de Ricardo Chéu no comando do Académico, ao vencer no Estádio do Fontelo, por 2-1. Nos "descontos", ficou um penálti por marcar e houve um golo mal anulado para a equipa de Viseu.

O primeiro jogo da 31.ª jornada ficou marcado pelos protestos à arbitragem de Luís Ferreira, após ter invalidado um lance em que o avançado do Académico de Viseu Fausto Lourenço chegou a introduzir a bola na baliza "encarnada".

Com este triunfo, o Benfica B igualou provisoriamente os líderes Moreirense e FC Porto B, que contam menos um jogo disputado, enquanto o Académico de Viseu permanece no 11. lugar, com 42 pontos.

Os anfitriões entraram melhor na partida, embalados por uma sequência de cinco vitórias consecutivas, dos sete sem derrotas sob o comando de Chéu, e pelos milhares de espetadores que apoiavam a equipa nas bancadas do Fontelo.

O golo ocorreu aos 10 minutos com Cafú, dentro da área, a desviar para o fundo da baliza de Bruno Varela. O veterano avançado cabo-verdiano, aos 36 anos, foi sempre uma dor de cabeça para a defesa "encarnada".

O Benfica respondeu ao golo do Académico e aos 12 minutos viu Ricardo Janota negar o empate, mas o Benfica estava melhor, com Carlos Martins a comandar o meio-campo, e chegou ao empate aos 25 minutos, com Hélder Costa a aparecer ao segundo poste a rematar cruzado sem hipóteses para Janota.

Até final da primeira parte, Cafú teve oportunidade de fazer o segundo golo para o Académico, mas falhou frente a Bruno Varela.

Na segunda parte, os papéis inverteram-se e o Benfica entrou melhor, chegando ao segundo golo aos 54 minutos, quando Bernardo Silva a aproveitou um ressalto de bola para aparecer ao segundo poste.

Em desvantagem, o Académico procurou voltar a marcar e teve oportunidade para isso. Aos 59 minutos, Luisinho foi traído por um ressalto da bola e não acertou com a baliza.

Até final, as ocasiões de perigo rondaram as duas balizas, mas a partida acabaria com um lance polémico, já em período de descontos.

João Alves foi derrubado na área mas o árbitro Luís Ferreira marcou canto para os viseenses. Na sequência da reposição de bola, Fausto Lourenço apareceu ao segundo poste e rematou para o fundo da baliza "encarnada", mas o lance foi anulado por alegado fora de jogo de outro jogador viseense. Apesar dos protestos dos academistas o golo não foi validado.

Ler mais