Alerta bancário desencadeou buscas ao Benfica

Movimento de quase 1,9 milhões de euros acionou alerta.

Um alerta bancário esteve na origem da investigação que levou às buscas ao Benfica e à constituição de seis arguidos, revela o Jornal de Notícias, indicando que o movimento de quase 1,9 milhões de euros levantou suspeitas.

Os bancos são obrigados a reportar as operações financeiras que se afigurem suspeitas, à luz da lei do combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo, refere o jornal, indicando que foi isso que aconteceu com o movimento do dinheiro com origem na Benfica SAD e na Benfica Estádio SA, para uma empresa de informática, e o posterior levantamento do mesmo montante em numerário.

O alerta bancário foi dirigido à Unidade de Infomação Financeira da Polícia Judiciária e ao Ministério Público. O banco estranhou o montante creditado ao cliente, acima do volume de negócios habitual, diz o JN.

Na quarta-feira, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa confirmou, em comunicado, a investigação de crimse de branqueamento e fraude fiscal.

O Benfica avançou entretanto com uma queixa-crime por difamação contra o jornal, que avançara na quarta-feira com a notícia das buscas, dizendo que a investigação não visa o clube, mas entidades terceiras que lhe prestam serviços.

Ler mais

Exclusivos