Está decidido: Eusébio vai para o Panteão Nacional

Projeto de resolução de todas as bancadas aprovado naturalmente por unanimidade. Futebolista merecerá honras de deposição na Igreja de Santa Engrácia.

Eusébio, o antigo jogador do Benfica e da Seleção Nacional, vai ter honras de Panteão Nacional, depois de todos os deputados do PSD, PS, CDS, PCP, BE e PEV terem aprovado por unanimidade o projeto de resolução que assim decidiu.

Cada grupo parlamentar teve direito a breves intervenções, onde se exaltou as qualidades do futebolista, mas também do homem e do menino de Moçambique que "fintou o destino", na expressão do bloquista Pedro Filipe Soares.

O socialista Ramos Preto deu a voz ao poema de Manuel Alegre sobre Eusébio.

Já Telmo Correia, do CDS, recuperou Luís de Camões para dizer que há pessoas que "se vão da lei da morte libertando" e notou o facto de o Parlamento estar "a fazer história" ao "conceder estas honras a um herói popular" e a "um desportista".

João Oliveira, do PCP, acrescentaria que assim, com esta decisão, "se faz justiça à esse sentimento popular".

O poema de Alegre para Eusébio reza assim:

"Havia nele a máxima tensão

Como um clássico ordenava a própria força

Sabia a contenção e era explosão

Não era só instinto era ciência

Magia e teoria já só prática

Havia nele a arte e a inteligência

Do puro e sua matemática

Buscava o golo mais que golo-

só palavra

Abstracção

ponto no espaço

teorema

Despido do supérfluo rematava

E então não era golo -

era poema"

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG