Deschamps: "Golo de Vata é apenas uma má recordação"

Treinador do clube francês fazia parte da equipa que perdeu na Luz há 20 anos. Lucho González, ex-FC Porto, espera que o 'amigo' Aimar possa jogar: "Dá prazer vê-lo em campo"

O futebolista argentino Lucho Gonzalez, ex-FC Porto, e o seu treinador no Olympique Marselha, Didier Dechcamps, rejeitaram qualquer desejo de "vingança" do Benfica, no confronto dos oitavos de final da Liga Europa.
"É só um jogo de futebol, não será uma vingança", afirmou o médio em conferência de imprensa, no Estádio da Luz, enquanto Deschamps, que fazia parte da equipa do Marselha eliminada nas meias-finais da Taça dos Campeões de 1989/90, com o polémico golo de Vata no antigo recinto "encarnado", simulava divertidos gestos com a mão.
"No futebol não há vinganças. É uma outra história. Até porque há muitos jogadores que ainda não tinham nascido há 20 anos. Trata-se apenas de uma má recordação, até porque nem sequer é o mesmo estádio", completou o antigo internacional francês, campeão do Mundo no França1998.
"Tenho um passado e estou identificado com o FC Porto, mas agora tenho outra camisola e a intenção é fazer o melhor possível. É um país que me tratou muito bem durante quatro anos, especialmente a cidade do Porto. É muito bonito voltar a Portugal", continuou Gonzalez, recusando falar sobre o atual momento dos "dragões", goleados terça feira pelo Arsenal (5-0), em Londres, na segunda mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões.
Sobre o Benfica, o internacional argentino reconheceu que, "como vai em primeiro (lugar) na Liga portuguesa", pode considerar-se o melhor conjunto luso, embora defendendo que esse estatuto só será alcançado com a conquista do título nacional.
"Tem jogadores novos e um novo corpo técnico. É uma equipa forte, que está a atravessar um bom momento, mas pensamos em nós e em fazer um bom trabalho amanhã (quinta feira). Vai ser difícil porque são duas grandes equipas, que tentam ter a posse de bola e desenvolver o seu futebol. Vamos tentar levar um resultado positivo de cá", afirmou Gonzalez, elogiando o "grande amigo" Pablo Aimar (Benfica), um jogador "que dá prazer ver jogar".
Deschamps afirmou ter estudado o adversário, através da observação de "três ou quatro encontros" do Benfica, destacando o poder ofensivo de jogadores como o paraguaio Cardozo, os argentinos Saviola, Aimar e Di Maria ou o brasileiro Ramires.
"É uma equipa com grande poder ofensivo, que pratica um bom futebol e marca muitos golos. É muito eficaz", elogiou, classificando os "encarnados" como um clube "do nível da Liga dos Campeões, com grande história", bem acima do adversário anterior na prova, o FC Copenhaga, e desejando "não sofrer e marcar golos fora".
O Benfica e o Olympique de Marselha disputam a primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa, quinta feira, a partir das 20:05 horas, no Estádio da Luz, sob arbitragem do alemão Felix Brych.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG