Coração que traiu Fábio Faria dividido entre Rio Ave e Benfica

Problemas cardíacos obrigaram-no a abandonar o futebol. Aos 25 anos, o ex-defesa está a tirar um curso de Gestão Desportiva e criou uma marca de roupa. Já tem cinco lojas.

O coração de Fábio Faria, que estará dividido esta tarde quando Rio Ave e Benfica se defrontarem no Estádio dos Arcos (18.00) para a jornada 26 da Liga, quase o traiu em campo em fevereiro de 2012.

Dois minutos depois dos 90 de um Rio Ave-Moreirense para a Taça da Liga, o defesa, que tinha acabado de regressar a Vila do Conde cedido pelo Benfica, caiu em campo e iniciou um calvário que lhe colocou a vida em risco e o obrigaria a abandonar o futebol.

"Perdi os sentidos. Tinha o coração a 300 batidas por minuto, três vezes mais do que o normal. Acordei na ambulância, com a minha mãe a chorar e os médicos a dizerem que ia ser difícil reanimar-me", recorda ao DN o ex-jogador, que aos 12 anos trocou o basquetebol pelo futebol. O culpado foi o pai de Hélder Postiga, que, ao ver que ele tinha jeito com a bola nos pés, num piquenique entre famílias, deu aos responsáveis pelo futebol juvenil do FC Porto o contacto do pai de Fábio, Chico Faria, que foi júnior do Benfica e profissional de Rio Ave, Académica, Salgueiros e Belenenses.

Leia mais na edição impressa e no epaper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG