Benfica sem ataque e com o treinador na bancada por castigo

Rui Vitória não pode orientar a equipa frente ao Besiktas, jogo para o qual tem sete baixas e foi obrigado a chamar dois jovens

Alerta máximo na Luz para a estreia do Benfica na Liga dos Campeões, esta noite diante dos turcos do Besiktas. É que os encarnados vão entrar em campo bastante desfalcados, sem os três goleadores da equipa - Jonas, Mitroglou e Raúl Jiménez -, todos lesionados. Havia a esperança de que o grego pudesse recuperar a tempo de ser utilizado, mas tal não se verificou.

Como se não bastasse, Rafa Silva, que se estreou em Arouca, e Jardel são os mais recentes clientes do departamento clínico, do qual fazem parte ainda Danilo e Luka Jovic, que no entanto não estão inscritos na Champions, tal como Zivkovic, que já se encontra a trabalhar sem limitações, e Kalaica.

No total, são nove ausentes do plantel principal, aos quais se junta ainda Rui Vitória, que vai ver o jogo da bancada, pois cumpre castigo por ter sido expulso no último jogo europeu da época passada, na Luz, frente ao Bayern Munique.

Com as escolhas complicadas para o jogo desta noite, Rui Vitória decidiu manter na convocatória o jovem avançado José Gomes, de apenas 17 anos, que na sexta-feira em Arouca se tornou o terceiro mais jovem de sempre a jogar na equipa principal do Benfica, e decidiu chamar pela primeira vez João Carvalho, médio ofensivo de 19 anos que na semana passada se estreou na seleção nacional de sub-21. "Tenho a plena consciência de que quem entrar dará conta do recado", assumiu ontem o treinador dos encarnados, reforçando uma ideia muitas vezes expressa desde que chegou ao Benfica: "Às vezes as oportunidades surgem de repente e por vezes de um problema surge uma oportunidade."

Rui Vitória reconheceu que no caso de José Gomes "o processo" de integração na equipa principal "foi acelerado", mas deixou a certeza de que o avançado, campeão da Europa de sub-17, "tem vindo a trabalhar bem, tal como outros juniores e da equipa B que têm vindo a trabalhar" às suas ordens, pelo que deixou uma certeza: "Conto com ele... veremos se jogará ou não."

Quanto ao seu castigo, Rui Vitória lamentou que a sua cadeira vá ficar vazia durante o jogo. "É com muita pena minha, mas a minha equipa técnica e os meus jogadores sabem o que têm a fazer durante o jogo", disse, razão pela qual assume estar "convicto e confiante no trabalho que tem sido feito" e que, sublinhou, tem por objetivo "ganhar" ao Besiktas, uma equipa "muito boa" que obrigará o Benfica a jogar "a um nível muito elevado".

Várias opções para o ataque

Tendo em conta o onze que Rui Vitória utilizou de início na sexta-feira em Arouca, para a 4.ª jornada da Liga, é certo que o lugar de Jardel será ocupado por Luisão ou Lindelöf, sendo que o sueco surge como principal candidato por ter estado nos jogos anteriores, falhando o a última partida porque chegou mais tarde da sua seleção.

Os maiores problemas são no ataque, sobretudo sobre quem irá acompanhar Gonçalo Guedes. Neste caso, seria surpreendente se o lugar de Rafa Silva fosse ocupado por José Gomes. Mais provável será a chamada do argentino Franco Cervi, cujas características se aproximam de Rafa. Outra possibilidade é André Horta adiantar-se para junto de Guedes e entrar Samaris para o meio-campo para fazer dupla com Fejsa. Há ainda a hipótese de Carrillo, que a ser escolhido para jogar de início faria deslocar Pizzi para o ataque, algo que não funcionou bem com o V. Setúbal. Certo é que o Benfica não terá um homem golo no onze inicial.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG