"Calúnia" e "cabala". Benfica nega manipulação de resultados

PJ estará a investigar a possibilidade de ter havido manipulação do resultado da visita dos 'encarnados' a Vila do Conde

O Benfica disse hoje desconhecer totalmente a existência de uma investigação da Polícia Judiciária (PJ) sobre uma alegada manipulação de resultados, negou o envolvimento do clube e assegurou responsabilizar judicialmente os autores "desta calúnia".

O jornal Correio da Manhã, na sua edição de hoje, noticia que a PJ está a investigar a possibilidade de ter havido manipulação do resultado da visita dos 'encarnados' a Vila do Conde, em 24 de abril de 2016, a contar para a 31.ª jornada da edição de 2015/16 da I Liga e que o Benfica venceu por 1-0, com um golo do mexicano Raúl Jimenez, aos 73 minutos.

"O Sport Lisboa e Benfica desconhece totalmente a existência deste processo", refere o clube 'encarnado', que "nega qualquer envolvimento do clube nesta situação e garante que todos os responsáveis pela promoção e divulgação desta calúnia serão responsabilizados criminalmente".

Para o emblema lisboeta, "esta notícia insere-se numa vasta campanha que foi montada de forma a levantar suspeitas, denegrir a imagem do Sport Lisboa e Benfica e o mérito das suas vitórias desportivas, de uma forma até um pouco tosca, em que os próprios factos e envolvidos são criados mesmo que nem estivessem a jogar nos clubes adversários e essas histórias antecipadas nas redes sociais associadas a clubes rivais, provando a origem destas denúncias anónimas".

O Benfica refere que "basta uma investigação mais cuidada para se provar a falsidade desta denúncia", dada a ausência de dois dos quatro jogadores evocados "e os outros dois foram curiosamente apontados pela generalidade da crítica como dos melhores em campo por parte do Rio Ave".

"O Sport Lisboa e Benfica espera que as autoridades e a justiça desenvolvam o seu trabalho para o rápido e cabal esclarecimento de mais esta manipulação. Podem estar certos que, uma a uma, todas estas situações terão uma forte resposta por parte do Sport Lisboa e Benfica, que irá até às últimas consequências para desmontar toda esta campanha de cabalas e responsabilizar os seus autores", remata o clube.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.