Artur Moraes: como superar a angústia do guarda-redes no momento do clássico?

Guardião brasileiro, mal-amado pelos adeptos do Benfica, deve regressar ao onze no dérbi contra o Sporting. Ex-benfiquista Quim e psicólogo Jorge Silvério dão a receita para que tudo corra bem.

É difícil apagar esta imagem: Artur Moraes a chutar a bola contra as costas de Carrillo... e Slimani a aproveitar a sobra para desviar de cabeça para o fundo da baliza do Benfica. O lance marcou o último jogo das águias com os leões - 1-1, na 3.ª jornada, na Luz - e reforçou o estatuto de mal-amado do guardião brasileiro diante dos adeptos benfiquistas. Quase meio ano depois, a lesão de Júlio César pode devolver a baliza ao n.º 1, em novo clássico com o Sporting. Mas o erro do passado não vai pesar, defende Quim, antigo guarda-redes encarnado: "Acredito que ele se vai mostrar concentrado e preparado."

Na hora de defrontar o Sporting, Artur Moraes poderá lembrar-se do dérbi de agosto (no final de um verão em que muito se falou da necessidade do Benfica reforçar a baliza...)."Quando estamos perante situações similares, as memórias recentes tendem a aparecer", explica Jorge Silvério, psicólogo do desporto e professor universitário. "O que ele deve fazer é concentrar-se nas ações que correram bem - e, de certeza que teve outros clássicos bem-sucedidos - e minimizar os que correram mal", analisa.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG