Advogado de Jorge Jesus confiante num desfecho rápido

O advogado do treinador "encarnado" considerou esta segunda-feira que o seu cliente está "de consciência tranquila" e confiante quanto a um "desfecho rápido" para o inquérito aos incidentes após o Guimarães-Benfica, da I Liga de futebol.

Para Carlos do Paulo, que falava à saída da audição de Jorge Jesus no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, este é um "processo excecional", uma vez que "os factos foram transmitidos" em direto por uma televisão, a 22 de setembro.

"Este é um processo totalmente diferente de todos os outros na fase criminal. Até entendo que o segredo de justiça aqui não deveria existir porque os atos, se foram ou não criminais, foram presenciados por todo o país numa transmissão direta", disse o representante do treinador.

O advogado revelou que apenas esta segunda-feira ele e Jorge Jesus ficaram a conhecer o auto de notícia elaborado pela polícia. "Reagimos ao mesmo. Explicámos o que entendemos que aconteceu [em Guimarães] e o que está no auto e entendemos que não aconteceu", disse o advogado.

Sobre se o caso será arquivado ou seguirá para julgamento, Carlos do Paulo disse que tal dependerá da interpretação dos magistrados da prova apresentada, das versões e da intenção de quem praticou os atos, quer do arguido quer do queixoso, o agente da PSP que estava a fazer a segurança no recinto desportivo.

Carlos do Paulo considerou ainda que espera que o processo tenha um desfecho rápido. "Confio que seja um processo célere [...]. O sr. Jorge Jesus não é um cidadão anónimo e o país todo tem os olhos postos no que vai acontecer ao treinador do Benfica", afirmou o advogado, para quem o "futebol é um fenómeno social de grande impacto" que os magistrados também levam em consideração.

Quanto à audição no DIAP, o advogado disse que "a diligência correu muito bem", que Jorge Jesus "está de consciência tranquila face a todo este processo" e que entende "não ter nada a temer".

"Aguardamos que a justiça se pronuncie: ou que acuse ou que arquive. A postura do meu cliente é que este processo seja rapidamente resolvido", reiterou.

No final do jogo com o Vitória de Guimarães, Jorge Jesus intrometeu-se numa ação da polícia que tentava travar adeptos benfiquistas que invadiram o relvado para celebrar a vitória do Benfica, por 1-0.

Os factos foram transmitidos em direto pela Sport TV e em deferido, e repetidamente, pelos principais canais televisivos.

Exclusivos