A um Benfica a meio gás valeu-lhe um Saviola gigante

Árbitro anulou golo limpo aos insulares e não marcou penálti de David Luiz.

O Benfica venceu o Nacional (1-0)e começou com o pé direito a defesa do título da Taça da Liga. Fora da Taça de Portugal, eliminado pelo V. Guimarães, Jorge Jesus não quis arriscar e ontem jogou com o melhor onze. Na Luz, a Taça da Liga, que os encarnados venceram o ano passado, deixou de ser para rodar jogadores menos utilizados, pelo menos foi isso que o técnico deu a entender.

Mas nem com o melhor onze os encarnados deslumbraram, bem pelo contrário. Na Luz assistiu-se a um jogo paupérrimo, embora com a equipa da casa sempre na mó de cima. Mas teve uma pequena ajuda do árbitro Olegário Benquerença, que começou por anular um golo limpo aos visitantes aos 18', poupando já no segundo tempo, 70', um penálti que puniria os encarnados.

Não se pode, contudo, dizer que foi só devido aos erros do juiz de Leiria que o Benfica ganhou. Não. Foram os da casa que procuraram sempre a vitória. Na primeira parte, contudo, com um Nacional a apostar num esquema de três centrais e com cinco jogadores no meio-campo, houve sempre poucos espaços para os anfitriões, até porque os insulares acertaram bem as marcações. Faltavam, assim, espaços à equipa da Luz.

Jesus sentiu isso mesmo e para o segundo tempo lançou o velocista Weldon. Os espaços começaram a surgir, até porque o Nacional mostrava então sinais de fa-diga. E aí foi a vez dos desequilibradores aparecerem, acabando Saviola, a passe de Nuno Gomes (acabado de entrar, no primeiro toque na bola, isolou o argentino), por ser a figura ao marcar o golo que garantiu a vitória.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG