Benfica no play-off da Champions com bom futebol e tranquilidade

Confirmou-se que o desafio em casa do Midtjylland era para cumprir calendário e as águias ganharam por 3-1 sem grande esforço. Segue-se o Dínamo de Kiev.

O passo de gigante já tinha sido dado com a goleada de 4-1 obtida na primeira mão e quem viu esse jogo percebeu que o segundo na Dinamarca seria apenas para cumprir calendário, por mais que o futebol por vezes nos possa surpreender. E, como se previa, o Benfica confirmou a passagem ao play-off de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões (o adversário será o Dínamo de Kiev), depois de vencer em casa do Midtjylland, por 3-1. As águias continuam assim invencíveis em solo dinamarquês, somando seis vitórias e três empates.

Sem David Neres, em gestão de esforço - deve estar apto para defrontar o Casa Pia no sábado -, Roger Schmidt lançou Chiquinho e essa foi a única mudança em relação à partida com o Arouca, confirmando-se que o médio ofensivo português ganhou nova vida, passando de dispensável a opção muito válida. Quem esperava que o Midtjylland começasse em alto ritmo, na procura de um golo cedo que fizesse a equipa acreditar num milagre, rapidamente percebeu que os dinamarqueses estavam mais interessados em não perder, certamente recordados da primeira mão, em que sofreram quatro golos, mas facilmente podiam ter consentido o dobro. Definitivamente, o treinador dos dinamarqueses não estava a fazer bluff, depois do encontro da Luz, quando afirmou não acreditar em milagres, até porque não é crente em Deus...

A partida começou assim num ritmo muito morno, o que até convinha ao Benfica e foi preciso esperar pelo minuto 18 para se ver uma jogada com princípio, meio e fim: um lance que começou em João Mário, prosseguiu em Grimaldo, que cruzou na perfeição para cabeceamento de Gonçalo Ramos, que no entanto passou muito ao lado.

Bastava ao Benfica acelerar um pouco para mostrar a abissal diferença de nível entre as duas equipas e o 0-1 surgiu com naturalidade aos 22", com Gonçalo Ramos a assistir na perfeição Enzo Fernández, que apareceu desmarcado na área, isolado diante do guardião Olafsson. E vão três golos em três jogos para o argentino, números mais comuns num excelente ponta de lança do que propriamente num médio. Ele que este ano no River Plate conseguiu dez golos e sete assistências em 28 encontros.

"Carrossel" benfiquista e por fim uma reação do rival

O Benfica partiu para alguns minutos de futebol de grande qualidade, com Enzo Fernández, João Mário, Rafa, Chiquinho e Gonçalo Ramos em "estilo carrossel", a velocidade vertiginosa, deixando os jogadores do Midtjylland "atarantados". No entanto, nos últimos minutos da primeira parte, os escandinavos mostraram-se mais atrevidos, beneficiando do que pareceu ser alguma sobranceria da formação portuguesa, bem exemplificada numa perda de bola infantil de Otamendi, que valeu lance de perigo junto da baliza de Vlachodimos, com o grego a efetuar grande defesa. Logo a seguir, Morato e Florentino atrapalharam-se e voltou a surgir em grande Vlachodimos, que no início de cada época é questionado mas que depois acaba sempre por ser titular. A história em 2022/23 parece ser igual...

Com quatro golos de vantagem na eliminatória, Roger Schmidt procedeu a duas alterações para a segunda parte, poupando Rafa e Gonçalo Ramos, substituídos por Yaremchuk e Henrique Araújo. E este último mostrou o seu reconhecido sentido de oportunidade praticamente na primeira vez que tocou na bola, ao desviar de cabeça excelente cruzamento de João Mário, aumentando para 0-2.

Aproveitando alguma apatia dos encarnados, o Midtjylland reduziu para 1-2 aos 63" por Sisto, ponta de lança que repetiu o golo que marcara na primeira mão. Nada que tenha incomodado a equipa portuguesa, que continuou a dominar, embora sempre sem forçar muito e com Gilberto em bom plano, a subir pelo pelo flanco direito. Numa dessas iniciativas, cruzou para Yaremchuk, mas este chegou atrasado. E aos 75 minutos também o lateral brasileiro foi descansar, sendo substituído por Alexander Bah. Aos 78" Diogo Gonçalves rendeu Chiquinho e ainda foi a tempo de marcar um grande golo, num remate ao ângulo, de fora da área, estabelecendo o 1-3 final.

No play-off, que arranca já na próxima semana, o Benfica defronta a equipa ucraniana do Dínamo de Kiev, que ontem voltou a vencer os austríacos do Strum Graz - desta feita por 2-1 e após prolongamento (3-1, no conjunto das duas mãos).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG